Foto: Joana Bourgard/Wilder

Criada a Rota das Árvores do Porto

A não perder

Nos próximos meses, as árvores mais imponentes da cidade do Porto vão estar em destaque pela iniciativa “Rota das Árvores do Porto”, lançada em Março. Esta série de cinco visitas guiadas quer mostrar as histórias de árvores centenárias como cedros, araucárias e palmeiras.

 

As visitas, com a duração aproximada de três horas, estão marcadas para os meses de Março, Abril, Maio, Junho e Julho em vários espaços verdes da cidade, desde a Casa da Prelada ao Passeio Alegre. Uma por cada mês.

“Esta Rota gostaria de relembrar aos portuenses que as árvores fazem parte da nossa história, do nosso património, marcaram os nossos destinos, inspiraram os nossos artistas e dão-nos qualidade de vida todos os dias”, disse à Wilder Marta Pinto, coordenadora do Projecto das 100.000 Árvores, um dos organizadores desta iniciativa.

A Rota arranca a 21 de Março na Casa da Prelada, onde os pontos altos da visita são uma “monumental araucária”, camélias antiquíssimas e um jardim de cedros. O percurso homenageia Nicolau Nasoni, considerado um dos mais significativos arquitectos do Porto, responsável pelos jardins da Quinta da Prelada.

A 9 de Abril é a vez de visitar as árvores da Quinta de Villar d’Allen, que abre as portas ao público, mostrando uma “colecção de árvores monumentais de tirar a respiração”.
A terceira visita acontece a 14 de Maio nos dois jardins históricos Conde Ferreira e da Ordem dos Médicos e a 11 de Junho é a vez das árvores do Parque das Virtudes, um dos menos conhecidos daquela cidade.

A Rota termina no Passeio Alegre, a 9 de Julho, junto às centenárias palmeiras.

As inscrições para as visitas são gratuitas e obrigatórias, estando limitadas a 30 vagas.

Esta é uma iniciativa do município do Porto integrada no FUTURO – projecto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.