Este abutre-preto (Aegypius monachus) tinha sido devolvido à natureza pelo CERVAS (Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens) a 16 de Outubro de 2013, na Reserva Natural da Serra da Malcata. Há alguns dias foi avistado e fotografado em pleno voo, no Norte da Galiza.

Quase dois anos depois de ser devolvida à natureza, a ave foi identificada pela marca alar F1, de cor preta e bem visível, que lhe tinha sido colocada pelos técnicos do CERAS (Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens), da Quercus de Castelo Branco. Os técnicos também lhe tinham colocado anilhas de cor.

Este abutre-preto foi observado e fotografado no passado dia 19 de Julho na serra do Xistral, concelho de Anadín, na região galega de Lugo, e os dados foram comunicados ao CERVAS.

Ricardo Brandão, veterinário que dirige a equipa do centro, adiantou à Wilder que casos como o desta ave, devolvida à natureza e com uma nova observação devidamente registada, não são comuns. “São muito poucos aqueles de que se tem notícias.”

 

 

Em 2013, a ave tinha sido encontrada em estado debilitado em Aldeia do Bispo, na região da Serra da Malcata, e entregue aos técnicos do centro, que a examinaram e trataram da devolução à natureza.

“Neste caso não houve um processo de recuperação difícil porque o abutre apenas estava magro e debilitado, como é comum nos juvenis de abutres entre o final de Verão e início de Outono”, contou Ricardo Brandão.

 

 

Enquanto esteve no centro, o abutre-preto foi alimentado e recebeu treino, socializando também com outros abutres.

“Desde o ingresso que se tentou que o abutre passasse por todas as etapas de recuperação o mais rapidamente possível”, recorda Ricardo Brandão, que avisa que o ideal é os tempos de recuperação serem “o mais curtos possível”, como sucedeu nesta situação. Isto por limitações de espaço nos centros de recuperação animal, mas também para evitar que os animais selvagens se habituem ao cativeiro e ao contacto com os humanos.

 

 

O abutre-preto que foi agora fotografado no Norte da Galiza tinha sido libertado no dia do 32º aniversário da Reserva Natural da Serra da Malcata, criada por decreto-lei no dia 16 de Outubro de 1981.

Se quiser conhecer mais sobre o abutre-preto, saiba aqui como pode identificar estas aves.