Foto: Dûrzan / Wiki Commons

Colónia de abelharucos paralisa obra em Sevilha

Os trabalhos para a descontaminação e limpeza de um terreno em Sevilha, Espanha, foram suspensos devido à presença de uma colónia de abelharucos (Merops apiaster) na zona, que nesta altura estão a criar as aves nascidas este ano.

 

Um habitante próximo do local das obras, na área sul de Sevilha, telefonou para o número de emergências local a dar conta de que havia obras na zona, quando desde há vários meses ali nidificam várias famílias de aves.

De acordo com um comunicado do Município de Sevilha, citado pela Europa Press, esta chamada telefónica, feita na última quinta-feira, levou à deslocação de uma patrulha da polícia local ao terreno. Ali, confirmaram que os documentos da empresa responsável pela limpeza do terreno estavam em ordem.

Foram também abordados por um habitante da zona, que os informou de que as obras se tinham iniciado em Janeiro e ficado suspensas durante vários meses, período durante o qual qual se instalou ali uma colónia de aves para nidificar. O mesmo responsável suspeitava que seriam abelharucos.

 

Dois-abelharucos-estão-pousados-em-cima-de-um-ramo

Abelharucos (Merops apiaster). Foto: Dûrzan / Wiki Commons

 

Em Espanha, estas aves estão incluídas na Lista de Espécies Silvestres em Regime de Protecção Especial. Os abelharucos fazem parte também da Lista Vermelha Europeia das aves.

Com o objectivo de “evitar situações irreversíveis para estas aves”, os agentes de polícia paralisaram então as obras e aguardaram pela chegada de uma equipa de técnicos do Ambiente, que confirmaram tratar-se de uma colónia de abelharucos.

Com base nestes dados, a polícia ordenou a suspensão imediata das obras até ao final do período de criação, decisão com a qual o responsável da obra “colaborou desde logo”, adianta a Europa Press.

Os abelharucos são uma espécie estival em quase toda a Europa do Sul, onde estão presentes de Abril a Agosto. No resto do ano, estão em  África.

Reproduzem-se em colónias e nidificam em buracos no solo, geralmente em áreas abertas nas regiões quentes, mas também áreas cultivadas ou terrenos abertos intercalados por pastagens e pequenos arbustos, informa o “Guia de Aves”, da autoria de Lars Svensson.

Em Portugal, estas aves cheias de cor ocorrem em quase todo o território, com excepção do Litoral Norte e Centro.

 

Saiba mais.

Quer saber onde será mais provável observar uma colónia de abelharucos? Consulte o site Aves de Portugal para conhecer melhor esta espécie.

Conheça ainda na Wilder o projecto de Joana Costa, para descobrir o trajecto dos abelharucos entre Portugal e África.