Foto: Wilder

Condado inglês aprova plano para insectos polinizadores

Conservação

O condado de Dorset, no Sudoeste de Inglaterra, aprovou na semana passada um plano de acção para travar o declínio dos insectos polinizadores como abelhas e borboletas.

 

O plano de acção – a ser implementado por todo este condado na costa do Canal da Mancha, onde vivem cerca de 700 mil habitantes – prevê medidas para minimizar os danos a estes insectos e para melhorar os seus habitats naturais. Entre a lista de coisas a fazer está o cultivo de plantas amigas dos polinizadores e o fim da utilização de neonicotinoides, um dos insecticidas mais usados no mundo e que tem sido ligado ao declínio dos polinizadores.

Segundo um comunicado do condado de Dorset, estas acções serão implementadas nas bermas das autoestradas, em sebes que dividem propriedades e nas explorações agrícolas geridas pelo condado. Além disso, serão integradas em qualquer processo público de tomada de decisões na região.

“Os polinizadores são vitais para o nosso ambiente natural e para a nossa economia”, disse Peter Finney, responsável pelo Ambiente, auto-estradas e infra-estruturas do condado. “Estamos a adoptar princípios positivos para tudo o que fazemos no nosso ambiente para ajudar a aumentar o número de abelhas, borboletas e outros polinizadores em Dorset.”

As autoridades da região, com um forte sector agrícola, consideram os polinizadores – como as abelhas, moscas e borboletas (diurnas e nocturnas) – essenciais e lembram que estes animais ajudam as plantas selvagens e as comerciais como o tomate, os morangos e as maçãs. O seu valor para a economia do Reino Unido está estimado em mais de 400 milhões de libras (cerca de 477 milhões de euros) por ano.

Actualmente, os polinizadores estão em declínio um pouco por todo o mundo. As ameaças a estes insectos incluem a perda e degradação de habitats, doenças, alterações climáticas e o uso de pesticidas.