Uma nova espécie de gafanhoto (Prionotropis ancosae) foi descoberta para a Ciência na Catalunha, no Norte da Península Ibérica. Este animal tornou-se num dos insectos mais ameaçados da região.

 

Este gafanhoto foi descoberto por técnicos do Serviço de Fauna e Flora do Departamento do Território e Sustentabilidade da Catalunha na zona da planície de Ancosa, área protegida.

 

 

A descoberta aconteceu durante o trabalho de seguimento e censo das espécies de invertebrados ameaçadas, depois de um aviso feito pelos naturalistas Xavier Bayer e Francesc Guasch.

Os investigadores já tinham detectado este insecto naquela zona em 2014 mas pensaram tratar-se da espécie Prionotropis flexuosa. Mas, investigações posteriores determinaram que esta é uma espécie diferente.

Este torna-se, assim, num dos insectos mais ameaçados da Catalunha. Segundo os técnicos daquele departamento, o gafanhoto agora descoberto para a Ciência tem uma área de distribuição muito reduzida, limitada àquela zona de Ancosa, e é “de uma grande raridade”, segundo um comunicado divulgado ontem por aquele departamento. “A densidade de exemplares é muito escassa neste ecossistema estepário, na ordem dos oito animais por cada mil metros quadrados.”

Em todo o mundo existem apenas oito espécies deste género, distribuídas pelas zonas estepárias da Europa e Ásia. De acordo com os entomológos, as maiores ameaças para estes animais são a destruição dos habitats, o sobre-pastoreio e a agricultura intensiva.

O Departamento catalão criou um protocolo de censos e vai elaborar um plano de conservação para esta espécie que considera “interessante do ponto de vista da biodiversidade”.

A nova espécie está descrita num artigo publicado a 28 de Abril na revista Zootaxa pelo entomólogo espanhol Josep Maria Olmo-Vidal.