Uma nova espécie de morcego no Brasil, que se alimenta de néctar, foi descoberta inesperadamente quando se estudava o género Lonchophylla. O artigo foi publicado ontem na revista Zookeys.

 

Os investigadores Ricardo Moratelli e Daniela Dias estudavam as quatro espécies conhecidas do género Lonchophylla no Brasil quando descobriram que alguns espécimes de Lonchophylla mordax tinham o pêlo da zona ventral consideravelmente mais claro e que algumas das suas medidas não eram consistentes com as dessa espécie. Para sua surpresa, um olhar mais atento revelou que esta era, na verdade, uma espécie completamente diferente, até agora desconhecida para a Ciência.

Os cientistas concluíram que aquilo que pensavam ser uma mera variação da coloração do pêlo era, na verdade, uma das características que permite distinguir esta como uma espécie diferente. Outras incluem diferenças no crânio e morfologia dos dentes. Na verdade, este morcego “inesperado” foi confundido, durante mais de 100 anos, com outra espécie, a Lonchophylla mordax.

A nova espécie foi chamada Lonchophylla inexpectata, inspirada na surpresa que foi esta descoberta.

Este morcego ocorre no Nordeste do Brasil, com registos confirmados em Pernambuco e Baía.