Imagem de arquivo. Foto: Joana Bourgard/Wilder

Dez cágados-mediterrânicos devolvidos à natureza no Algarve

Conservação

Depois de meses em recuperação, 10 cágados-mediterrânicos são devolvidos hoje à natureza, na Estação da Biodiversidade da Ribeira de Quarteira (Algarve).

 

Os cágados da espécie Mauremys leprosa, uma das duas espécies de cágados autóctones de Portugal, estiveram no Porto d’Abrigo do Zoomarine, o centro de reabilitação de espécimes aquáticos do Algarve a funcionar desde 2002, na Guia, em Albufeira. A maioria dos animais deu entrada no centro este ano.

A devolução à natureza começou às 09h10, no Porto d’Abrigo do Zoomarine, e terminou na Estação de Biodiversidade da Ribeira de Quarteira, na Azenha do Castelo, em Paderne.

“No Porto d’Abrigo do Zoomarine permanecerão mais alguns exemplares desta espécie (cuja reabilitação exigirá mais alguns meses de cuidados médico-veterinários, alimentação adequada e descanso), assim como dois exemplares de tartaruga-comum (Caretta caretta)”, revela o Zoomarine em comunicado.

Já a 5 de Outubro do ano passado, este centro tinha devolvido outros nove cágados à natureza, mais concretamente em São Lourenço (Quinta do Lago) e na Mata Nacional da Herdade da Parra (em São Marcos da Serra, concelho de Silves).

O cágado-mediterrânico, ao contrário do que acontece com o cágado-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis), não está ameaçado mas a perda de habitat é um problema que poderá levar a um declínio populacional.

 

Saiba mais.

Descubra mais aqui sobre estes animais e sobre o que se está a fazer para os conservar no Paul da Tornada, um dos poucos locais do país onde podemos encontrar as duas espécies.