Reintrodução de Liberdade, em Março de 2015. Foto: ICNF

Dois linces-ibéricos libertados na natureza em Castela-La Mancha

Natureza

A fêmea Mirabel e o macho Medellín, nascidos no ano passado no Centro de Reprodução em cativeiro em Zarza de Granadilla, foram libertados nesta quarta-feira na natureza em Castela-La Mancha.

 

Estes dois linces foram libertados no âmbito do projecto Life Iberlince que, até Abril, prevê reintroduzir na natureza um total de 48 linces-ibéricos em Portugal e Espanha. Na segunda-feira foram libertados em Portugal, mais concretamente na região de Mértola, as fêmeas Myrtilis e Mirandilla e o macho Monfrague.

Mirabel foi libertada em Montes de Toledo e Medellín na Serra Morena Oriental, segundo um comunicado do Iberlince, projecto a decorrer até 2017. “Com a reintrodução de Mirabel e Medellín são já 25 os exemplares de lince-ibérico reintroduzidos pelo projecto Life Iberlince em Castela-La Mancha”, afirmam os técnicos, em comunicado.

A selecção dos animais foi feita de forma a garantir que levem para a natureza a máxima variabilidade genética, ao mesmo tempo que se tem em conta o equilíbrio que deve existir na relação de sexos da população.

A 26 de Janeiro, o mesmo projecto revelou que um lince-ibérico foi encontrado atropelado na estrada A-493, em La Palma del Condado (Huelva). Era um macho de quase dois anos e estava radiomarcado. O animal foi levado para o Centro de Análises e Diagnóstico da Fauna Silvestre da Junta da Andaluzia, onde está a ser feita a necropsia.

O lince-ibérico (Lynx pardinus) é uma espécie que, até ao ano passado, estava classificada como “Criticamente em Perigo”. Em Junho de 2015, a União Internacional de Conservação da Natureza (UICN) passou a espécie para a categoria “Em Perigo”. Dos 52 linces-ibéricos adultos em 2002 existiam 156 em 2012. Hoje serão mais de 300.

 

Saiba mais.

Fique a par do que está previsto acontecer este ano e recorde os principais marcos na história da conservação da espécie.