As exóticas invasoras podem causar grande dano às espécies nativas. Foto: Wilder

Quercus aplaude lista europeia mas lembra que muitas exóticas ficaram de fora

Natureza

Numa reacção à primeira lista europeia de espécies exóticas invasoras, publicada nesta quarta-feira, a Quercus aplaude a iniciativa mas lembra que várias outras espécies ficaram de fora, como o peixe-escorpião ou o vison-americano.

 

Depois de muitos meses de preparação, a Comissão Europeia publicou uma lista com 37 espécies exóticas invasoras que estão a causar danos à escala europeia. Dela fazem parte a rã-touro-americana (Lithobates catesbeianus), a tartaruga-da-florida (Trachemys scripta), o esquilo-cinzento (Sciurus carolinensis), a vespa-asiática (Vespa velutina) e o jacinto-de-água (Eichornia crassipes).

Para a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, “é muito importante que a União Europeia dê sinais de que é capaz de agir nesta área onde uma acção coordenada de toda a Europa é essencial”, escreve em comunicado divulgado ontem.

Mas, apesar de ser “um passo na direcção certa”, esta lista com 37 espécies é “muito modesta em comparação com a escala do desafio”, alerta a associação.

As espécies exóticas invasoras são uma das maiores ameaças mundiais à biodiversidade. “Podem causar grande dano às espécies nativas, alimentando-se delas, competindo com elas por alimento e promovendo a propagação de doenças”, por exemplo. A Quercus lembra os casos em Portugal da vespa-asiática e da vespa-do-castanheiro, “que ameaçam de forma grave a apicultura e a produção de castanha”.

Para a Quercus, “muito mais espécies terão de ser adicionadas (à lista) para que se possa combater eficazmente esta grave ameaça à natureza na Europa”. Além do acrescento da lista, a associação defende a “implementação do combate” a estas espécies e a “identificação de todas as espécies perigosas” o mais rapidamente possível.

 

Saiba mais.

Consulte aqui as 37 espécies da lista.