Anunciado plano de 12 milhões de euros para lobo-ibérico na Andaluzia

23 de Setembro de 2015

A Junta da Andaluzia anunciou hoje o início iminente do II Plano de Recuperação do Lobo-Ibérico na região, com um valor de 12 milhões de euros. O objectivo é aumentar a população nos próximos anos.

 

O plano foi anunciado hoje pelo conselheiro do Ambiente e Ordenamento do Território da Junta de Andaluzia, José Fiscal, na assinatura da adesão da Junta de Andaluzia ao Manifesto de Apoio à conservação do Lobo Ibérico, promovida pela Sociedad Gaditana de Historia Natural, noticia a agência espanhola EuropaPress.

José Fiscal referiu-se ao lobo-ibérico como “uma das espécies mais belas e mais mal tratadas pelo Homem”.

Hoje, vivem na Andaluzia 50 lobos, em duas populações, uma em Sevilha e na região Oeste de Córdova e outra na região Este de Córdova e em Jaén.

A caça ao lobo na Andaluzia está proibida desde 1986, ano em que também foi criado um regime de indemnizações por danos no gado. Em 2003, a Junta lançou um programa para conservar a espécie na Serra Morena. “Sem esse primeiro programa de recuperação, o lobo ter-se-ia extinguido na Andaluzia”, disse hoje José Fiscal. “Desde 2003 temos conseguido manter a população” mas isso “não é suficiente e por isso pusemos em marcha este segundo plano”, acrescentou. O plano conta com financiamento do programa LIFE.

O Manifesto é assinado por várias associações ecologistas, mas também por colectivos de caçadores, como a Federação Andaluza de Caça.