Cidade espanhola está a criar a Rede de Jardins para a Biodiversidade

13 de Maio de 2015

A cidade de Santander, na província e comunidade autónoma da Cantábria, começou nesta terça-feira a distribuir sementes com uma mistura de 15 espécies de flores silvestres para os cidadãos interessados em ajudar a criar a Rede de Jardins para a Biodiversidade.

O projecto, gerido pela Sociedade Espanhola de Ornitologia (SEO)/Birdlife, “tem como finalidade que qualquer residente – individual ou colectivo – com um jardim no município possa conhecer melhor a flora e a fauna silvestre local e, ao mesmo tempo, aprender como deve gerir o seu jardim em benefício da biodiversidade”, segundo um comunicado do conselho municipal para o Ambiente.

Actualmente há mais de 100 inscritos que querem participar na conservação da flora e fauna de Santander.

A conselheira para o Ambiente, María Tejerina, salientou que um pequeno gesto como semear flores silvestres no jardim pode contribuir para a conservação de borboletas, abelhas e outros polinizadores que actualmente estão em declínio por toda a Europa. “A soma das pequenas iniciativas de carácter ambiental nos jardins pode trazer grandes benefícios à biodiversidade de Santander”, comentou.

Será a empresa Jardines de Santander a fazer a manutenção das zonas verdes, com a coordenação técnica da SEO/BirdLife.

O projecto também está a ser aplicado em 12 parques públicos – Santander -Mataleñas, Cueto-Valdenoja, Benidorme, Las Llamas, Finca de Jado, María Cristina, Altamira, Vega-Los Castros, Las Carolinas, Mendicouagüe, Residencia e Doctor Morales. Estes ocupam uma área superior a 500 metros quadrados e estão a ser trabalhados para criar micro-habitats que atraiam insectos polinizadores. Além disso, lembrou Tejerina, as flores silvestres trarão beleza àquelas zonas verdes urbanas, sem precisarem de grande manutenção.

A distribuição das sementes para os membros da Rede de Jardins para a Biodiversidade vai realizar-se no Centro de Educação Ambiental Los Viveros, de segunda a sexta-feira.

Saiba mais sobre o projecto no site da SEO/Birdlife.