Descoberta nova espécie de cervo gigante que viveu há 780.000 anos

7 de Julho de 2015

Uma equipa de investigadores espanhóis descobriu uma nova espécie de cervo, o Megaloceros novocarhaginiensis, que viveu há 780.000 anos na Península Ibérica, graças ao estudo de fósseis encontrados em Múrcia.

 

Este cervo, parecido aos veados actuais, media quase dois metros de altura, segundo um comunicado do Museu Nacional de Ciências Naturais de Espanha, onde trabalha Jan van der Made, o investigador que deu o nome à espécie.

Made estudou 153 fósseis, encontrados na jazida de Victoria, em Cartagena, Múrcia.

“Depois de comparar os fósseis – que incluem as hastes, os dentes e ossos das extremidades – comprovei que não coincidiam com nenhuma das espécies conhecidas até agora”, comentou o investigador. “Esta descoberta ajuda-nos a completar a história evolutiva da família dos cervídeos.”

Os resultados do seu trabalho foram publicados num artigo da revista Mastia, do Museu Arqueológico Municipal de Cartagena.