Está aberta a caça à baleia na Islândia apesar de protestos

1 de Julho de 2015

O Ministério das Pescas islandês atribuiu para este ano uma quota de 154 baleias-comuns (Balaenoptera physalus) e 229 baleias-anãs (Balaenoptera acutorostrata).

 

Dois baleeiros, “Hvalur 8” e “Hvalur 9”, saíram para o mar no domingo, confirmou o gestor da estação baleeira de Hvalfjordur, Gunnlaugur Gunnlaugsson, à agência de notícias francesa AFP, citado pelo jornal The Guardian.

A Islândia e a Noruega são os dois únicos países que desafiam abertamente a moratória de 1986 da Comissão Baleeira Internacional à caça comercial de baleias. Para este ano, o Governo islandês atribuiu uma quota de 154 baleias-comuns e 229 baleias-anãs.

No ano passado, a Islândia caçou 137 baleias-comuns e 24 baleias-anãs.

Uma petição a decorrer no site avaaz.org contra a caça à baleia na Islândia e o transporte de carne de baleia para o Japão recolheu, até quarta-feira de manhã, cerca de 835 mil assinaturas.

Por seu lado, o Japão confirmou na semana passada que pretende voltar a caçar baleias este ano, mesmo depois de a Comissão Baleeira Internacional ter emitido um aviso de que Tóquio não justificou as razões científicas para o poder fazer. A moratoria à caça comercial prevê uma excepção, para fins científicos.