Homem ligado à morte do leão Cecil detido no Zimbabwe

15 de Setembro de 2015

A polícia do Zimbabwe deteve ontem o caçador local que terá organizado a caçada que levou à morte do leão Cecil, em Julho, na sequência de novas acusações de transporte de 29 antílopes sem licença e como cúmplice no tráfico de animais.

 

Theo Bronkhorst já ia a tribunal a 28 de Setembro para responder às acusações de quebra das regras de caça ao ajudar o dentista norte-americano a matar Cecil, um leão de 13 anos, fora do parque de vida selvagem Hwange. Agora foi envolvido num outro crime, sendo acusado de envolvimento no tráfico de 29 antílopes para a África do Sul.

A porta-voz da polícia, Charity Charamba, disse à agência Reuters que Bronkhorst foi detido na cidade de Bulawayo e que vai ser presente em tribunal amanhã na cidade de Beitbridge, onde o crime foi cometido.

No sábado, três sul-africanos foram acusados de terem capturado ilegalmente os antílopes e de terem tentado exportá-los sem terem uma licença. Os homens retiraram os animais de uma reserva de caça privada perto da cidade de Victoria Falls a 11 de Setembro. O crime foi descoberto quando os camiões que transportavam os animais ficaram atolados no rio Limpopo, segundo a emissora estatal Zimbabwe Broadcasting Corporation.