Vaca-loura. Foto: João Gonçalo Soutinho

Cidadãos aumentaram em 36% área de distribuição conhecida para a vaca-loura em Portugal

Naturalistas

O projecto português de Ciência Cidadã VACALOURA.pt, 100% voluntário, conseguiu num ano aumentar em 36% a área de distribuição conhecida para a vaca-loura, o maior escaravelho da Europa, graças a 500 cidadãos, segundo um artigo publicado recentemente.

 

Em 2016, cerca de 500 pessoas ajudaram a Rede de monitorização da vaca-loura em Portugal, com a confirmação do avistamento de 552 lucanídeos em Portugal, segundo o artigo que faz o balanço do primeiro ano do projecto. Este artigo foi publicado a 20 de Novembro na revista Lucanus – Ambiente e Sociedade, lançada este mês pela Câmara Municipal de Lousada, em parceria com o Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.

O objectivo deste projeto de ciência cidadã é reunir informação sobre a distribuição e o estado das populações da vaca-loura e de mais três espécies de escaravelhos da família Lucanidae em Portugal (Lucanus barbarossa, Dorcus parallelipipedus, Platycerus spinifer).

A participação voluntária no projeto pode ser feita de duas maneiras: o registo esporádico das espécies e a adoção de percursos de monitorização de 500 metros. 

Durante o primeiro ano, os dados recolhidos pelos cidadãos “permitiram aumentar em 36% a área de distribuição conhecida para a vaca-loura em Portugal e ainda aumentar em 33 e 47% a área de distribuição conhecida das espécies Dorcus parallelipipedus e Lucanus barbarossa, respetivamente”, acrescentam os autores do artigo.

Braga foi o distrito com maior número de avistamentos, grande parte dos quais no Parque Nacional da Peneda-Gerês, seguindo-se os distritos do Porto e Aveiro.

Os dados recolhidos ajudaram ainda a perceber os padrões de atividade temporal destas espécies em estado selvagem, “informação muito relevante para futuros estudos de monitorização e conservação das espécies”.

Assim, conseguiu-se perceber que Junho é o mês em que mais facilmente se observam estes escaravelhos em Portugal. Mas há registos destes animais desde Abril a Setembro.

As populações de vaca-loura (Lucanus cervus) enfrentam um declínio generalizado. Este escaravelho é a espécie bandeira dos invertebrados dependentes da madeira morta. “Este grupo de organismos representa cerca de 30% das espécies florestais a nível mundial, pelo que urge conhecer a sua distribuição e principais ameaças à sua conservação.”

No futuro pretende-se continuar com a monitorização, com o objetivo de obter informação suficiente para averiguar os principais fatores de ameaça que as populações desta espécie enfrentam em Portugal, bem como delinear estratégias de conservação mais eficazes.