Galheta. Foto: Donald Macauley/Wiki Commons

Cinco coisas a saber para distinguir as duas espécies de corvos-marinhos

Torne-se um perito

Soubemos hoje que a galheta, também conhecida como corvo-marinho-de-crista (Phalacrocorax aristotelis), é a Ave portuguesa do Ano 2017. É natural que esteja mais atento e que a procure. Mas o problema é que em Portugal pode encontrar não uma mas duas espécies de corvos-marinhos. Como saber se a ave que tem à frente é um corvo-marinho-de-faces-brancas ou o mais raro corvo-marinho-de-crista? O trabalho de detective começa aqui.

 

Aqui ficam cinco coisas que o podem ajudar a identificar e distinguir estas duas espécies de corvos-marinhos: corvo-marinho-de-crista (Phalacrocorax aristotelis) e corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo).

Primeiro, as apresentações:

Galheta:

Foto: Andreas Trepte

 

 

Corvo-marinho-de-faces-brancas:

 

Foto: Charles J. Sharp/Wiki Commons

 

E agora, as cinco coisas a procurar para identificar estas aves.

 

Probabilidades de conseguir ver um corvo-marinho:

Se encontrar um corvo-marinho a voar ou pousado a secar as asas, é mais provável que esteja a olhar para um corvo-marinho-de-faces-brancas. Segundo o livro “Aves de Portugal”, esta é uma espécie frequente ao longo do litoral português. Mas isto só se estivermos entre inícios de Setembro e Março. Esta é uma espécie que vive no Reino Unido e Irlanda e apenas vem passar o Inverno a Portugal.

Já a galheta está em Portugal durante todo o ano, mas é bem mais rara. Segundo o mesmo livro, a população nacional é pequena, estando concentrada nas Berlengas e em alguns sectores da costa sudoeste. Segundo o último censo, de 2002, há em Portugal entre 100 a 150 casais reprodutores. Os melhores locais para a ver são as Berlengas, Cabo da Roca, Cabo Espichel/Arrábida e costa sudoeste.

 

Tamanho:

A ave do ano, a galheta, é mais pequena. Tem 68-78 centímetros de comprimento e uma envergadura de asa de 95-110 centímetros. Já o corvo-marinho-de-faces-brancas tem 77-94 centímetros de comprimento e uma envergadura de asa de 121-149 centímetros.

 

Forma:

A galheta é mais elegante; tem um pescoço e um bico mais finos, a cabeça mais pequena e a fronte alta e arredondada. Em voo mantém o pescoço mais direito e voa a menor altitude, em geral, perto da superfície da água. O corvo-marinho mais comum tem um pescoço mais comprido e grosso.

 

Cor dos adultos:

A galheta tem bico amarelo, penas pretas com reflexos verdes, asas pretas e escamosas com matizes arroxeados. Ao contrário da outra espécie, não tem branco nas penas. Na época de reprodução, entre Janeiro e Julho, tem uma crista preta e revirada na cabeça. O corvo-marinho-de-faces-brancas é negro, com reflexos azulados e verdes. Tem asas pretas e escamosas com matizes cor de bronze e uma área branca junto ao bico. Durante a reprodução, tem uma mancha branca no flanco (perde-a no Verão).

 

Reprodução:

A galheta reproduz-se nas Berlengas, em colónias nas falésias. Nidifica em cavidades, grutas ou pedregulhos e os seus ninhos são um amontoado de vegetação. O corvo-marinho-de-faces-brancas não se reproduz em Portugal. Nas zonas do Norte da Europa onde nidifica procura saliências de falésias costeiras ou árvores junto de lagos ou na costa.

 

Saiba mais.

Conheça melhor a Ave do Ano portuguesa, a galheta.

Agora é a sua vez.

Envie-nos as suas fotografias dos corvos-marinhos que encontrar, para geral@wilder.pt