Foto: Joana Bourgard

Estas são as 10 escolas que mais ajudam a natureza nos EUA

Naturalistas locais

Federação Nacional norte-americana para a Vida Selvagem (National Wildlife Federation) anunciou ontem a lista das 10 escolas que mais têm feito pela protecção da natureza, sustentabilidade e educação ambiental nos Estados Unidos.

 

O galardão Eco-Escolas EUA abrange todo o país, de costa a costa, e desde cidades a povoações rurais, passando por escolas rodeadas de arranha-céus ou campos agrícolas.

“Estas escolas são modelos de educação ambiental, onde alunos, pais, professores e funcionários se envolvem em acções para melhorar as suas disciplinas de ciências, engenharia, tecnologia e matemática através da natureza e de actividades ‘hands-on’”, explicou Collin O’Mara, presidente da Federação.

As escolas selecionadas pelo seu compromisso são de vários pontos do país, desde Chicago e Brooklyn a Austin e Miami.

Por exemplo, a Earth’s Magnet School (Newbury Park, Califórnia) tem jardins que imitam os biomas da Califórnia e os alunos passam em média 45 minutos por semana em aulas ao ar livre. A Eisenhower High School (Goddard, Kansas), é uma Monarch Way Station, com plantas silvestres para ajudar as borboletas monarcas em migração. E a Green Tech Academy (Clint Small Middle School, Austin, Texas) tem um jardim com 300 plantas autóctones e 25% dos alimentos que consome são produzidos localmente.

As escolas “estão a criar habitats e laboratórios vivos ao ar livre, estão a reduzir os consumos de água e energia e a melhorar a reciclagem, tudo oportunidades para poupar dinheiro às escolas”, acrescentou. Estes “são exemplos de como podemos inspirar a próxima geração de defensores da natureza e construir comunidades onde as pessoas e a vida selvagem possam crescer e prosperar.”

O galardão Eco-Escolas EUA desafia os estabelecimentos de ensino a fazerem uma avaliação do espaço, um plano de acção e a envolverem toda a comunidade nos seus projectos. E para ajudar a ligar as crianças à natureza, a Federação apoia as escolas a desenvolver aulas ao ar livre, no projecto Schoolyard Habitats, onde tanto professores como alunos aprendem a atrair e conservar a vida selvagem local. “Estes habitats para a vida selvagem tornam-se lugares onde os alunos podem aprender sobre as espécies e ecossistemas e a melhorar as suas competências académicas, aguçando a curiosidade e criatividade”, explica a Federação.

Conheça aqui as dez escolas seleccionadas.