A correspondente Mafalda Ferreira de Lima descobriu uma família de musaranhos-de-dentes-brancos a viver no seu jardim.

 

No Verão todos aproveitamos para arrumar o jardim, e eu não sou excepção. Resolvi remover a piscina de plástico velha que estava embrulhada por debaixo dos choupos há já um ano. Estava escondida pelas ervas que foram crescendo à sua volta, espalhando raízes em busca da humidade retida pelo plástico e, por consequência, agarrando a piscina ao solo com firmeza.

Assim que comecei a puxar a lona e, à medida que esta se soltava do seu emaranhado de ervas bravas, não queria acreditar no que via! Não foram só as plantas a tirar proveito da piscina, mas uma serie inimaginável e altamente variada de insectos! Corriam desenfreados em busca de protecção. E foi no meio de tanto reboliço que reparei que a piscina trazia mais do que insectos. O meu coração disparou. A tirar proveito daquele festim, encontrava-se uma família de musaranhos-de-dentes-brancos (Crocidura russula)!

 

 

 

Uma espécie protegida e abundante em todo o território nacional, este musaranho é um pequeno mamífero insectífero que pertence à família Soricidae, cujo tamanho não ultrapassa os 8,6 cm (sem contar com a cauda) e o peso pode chegar aos 14 gramas.

Este mamífero de caricato focinho pontiagudo e olhos pequenos, tem uma pelagem pardo-acinzentada e um ventre de um cinzento claro.

 

 

O musaranho é uma espécie solitária durante a maior parte do ano e pode ser encontrada em ambientes humanizados como jardins, várzeas, campos agrícolas, quintas ou em habitats mais naturais como florestas, montados e outras zonas selvagens. No fundo, áreas onde possa encontrar alimento (minhocas, escaravelhos etc) com facilidade.

 

 

Define o seu território e mantem-no durante o ano, compartilhando-o apenas durante a época de reprodução.

 

 

É um animal com hábitos crepusculares, ou seja, sai habitualmente em busca de alimento ao amanhecer e ao entardecer, mas pode ser visto ocasionalmente noutras alturas do dia.

Na época de acasalamento, o par permanece junto protegendo o seu território e ninho, mantendo a ninhada até ao desmame. Podem ter mais do que uma ninhada por ano.

 

 

Por fim, o musaranho faz parte da dieta de vários animais da nossa fauna entre eles a gineta, a raposa, a doninha e aves de rapina.

 

Leia o blogue da Mafalda.

Siga os correspondentes da Wilder, entusiastas que exploram e registam a vida selvagem à sua porta.