Foto: Joana Bourgard

Doze actividades para comemorar o Dia da Ecologia

Celebrado esta terça-feira, a 14 de Setembro, o Dia da Ecologia surgiu pela primeira vez em 2016, para celebrar o 150º aniversário do nascimento desta ciência.

Foi precisamente no dia 14 de Setembro de 1866 que o biólogo e naturalista alemão Ernst Haeckel publicou a sua “Ökologie und Chorologie” , obra na qual criou a Ecologia como ciência que estuda as relações entre o meio ambiente e os seres vivos.

Em Portugal, a comemoração do Dia da Ecologia (Ecology Day) é promovida pela SPECO – Sociedade Portuguesa de Ecologia, em associação com a Federação Europeia de Ecologia. De entre as muitas actividades previstas no âmbito das celebrações, por todo o país e também online, a Wilder deixa-lhe 12 sugestões:

1. Mesa redonda: Qual a importância da biodiversidade das grutas e do carso?

O Dia da Ecologia celebra-se nas Grutas de Mira de Aire, situadas no coração de Portugal. Em debate vão estar os ecossistemas subterrâneos sob uma perspectiva ecológica; os morcegos, os habitantes icónicos das cavernas; a importância das cavernas e do carso como arquivos paleoecológicos; o papel das grutas visitáveis na sustentabilidade ambiental, e a relevância da biodiversidade das grutas e do carso para a Biologia. 

A acção terá lugar no edifício da Gruta, na Gruta de Mira d’Aire, e está prevista a participação de João Pedro Matos Fernandes (Ministro do Ambiente e da Ação Climática), Ana Sofia Reboleira (professora Ciências ULisboa e investigadora cE3c), Cristina Máguas (presidente EEF e coordenadora cE3c),  Maria Amélia Martins-Loução (presidente SPECO), Octávio Mateus (professor NOVA e investigador GeoBioTec), Jorge Palmeirim (professor Ciências ULisboa e investigador cE3c), Olímpio Martins (GISGAP – Parque Natural das Serras de Aires e Candeeiros) e Maria de Jesus Fernandes (bastonária da Ordem dos Biólogos). O evento é organizado pelo Centre for Ecology, Evolution and Environmental Changes (cE3c) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em parceria com a European Ecological Federation e a Sociedade Portuguesa de Ecologia, com o apoio dos parceiros do Cave Animal of the Year – Portugal. 

2. Documentário: “Ao ritmo das marés”

Este documentário disponível online foi desenvolvido por investigadores do MARE-IPLeiria. Está em versão portuguesa, com possibilidade de legendas em inglês disponível.

3. Passeio Pedestre para reconhecimento da flora local (Évora)

A atividade terá inicio as 10 horas da manhã em São Matias, Évora, até ao Cromeleque Vale Maria do Meio que são aproximadamente 8 quilómetros de ida e volta. Todo o percurso será guiado com o objetivo de identificar o maior número de espécies existentes, posto isto, faremos uma pausa no cromeleque para um almoço e convívio na natureza, contamos em estar de regresso a São Matias por volta das 15 horas. O objetivo será depois juntar a informação e disponibilizar aos futuros visitantes do local.

4. Passeio pedestre: À descoberta do Paul de Manique

Para assinalar o Dia Mundial da Ecologia, os visitantes irão à descoberta do Paul de Manique do Intendente, para entender a importância das zonas húmidas no actual contexto das alterações climáticas, revelando os seus valores naturais. Não é necessária inscrição.

5. À descoberta dos insectos no Parque da Água

No dia 14 de setembro, entre as 14h30 e as 18h00, é possível descobrir a diversidade e importância dos insetos que habitam no Parque da Água e mostraremos também um exemplo de hotel de insetos, existente no local, assim como, ideias para construir um destes hotéis. Esta atividade é gratuita.

6. Monitorização de Borboletas Diurnas no PNSAC

O percurso fixo ou transeptos realizados no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros são em Marinhas do Sal e no Polge de Minde, abrangendo diferentes habitats desta área protegida de Lisboa e Vale do Tejo. A monitorização de borboletas é realizada regularmente por técnicos e vigilantes da Natureza e, sempre que as condições ambientais viabilizam o voo.

Nos dias 14 e 15 de Setembro, a atividade irá realizar-se de manhã nas Marinhas do Sal- Rio Maior e de tarde no Polge de Minde. Poderão participar até 6 pessoas de manhã e 6 pessoas de tarde mediante inscrição prévia para sofia.quaresma@icnf.pt. É aconselhado levar água, protector solar e calçado e roupa confortáveis.

7. Navegadores, ecólogos sem sabê-lo

Antes de a Ecologia ser formalmente uma ciência, observações de carácter ecológicos já se podiam encontrar nas descrições de paisagens, animais e plantas. A navegação oceânica dos séculos XVI e XVII, conectando o Velho Mundo e o Novo Mundo, mostrou aos navegadores a existência duma natureza até então desconhecida.

Cada viagem era razão de maravilha, mas sobretudo era a ocasião de recolher dados sobre flora, fauna e habitats pela primeira vez a nível global. Testemunhos destes eventos são os relatos de viagens, os roteiros e todos os documentos que dum lado recolhiam informações sobre a biodiversidade e do outro, anotando elementos naturais, garantiam uma navegação o mais possível segura. Durante esta actividade, junto à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, a partir das 15h desta terça-feira, dia 14, vamos ler textos originais e conversar com os investigadores do projecto RUTTER, para reviver as viagens com os olhos dos navegadores.

8. Observação de Gaivotas na Ilha do Faial

Ainda são muitos os açoreanos que confundem uma gaivota juvenil com uma cagarra apesar das profundas diferenças de morfologia e comportamento. Venha observar estas aves fantásticas, aprender a identificar a sua idade e saber mais sobre a sua  distribuição, plasticidade ecológica e comportamento.

9. A gaivota-de-patas-amarelas e a gaiovota-de-Audouin em Portugal – resultados dos censos de 2021

Nesta palestra online são dados a conhecer os resultados preliminares do censo nacional da gaivota-de-patas-amarelas (uma iniciativa conjunta da SPEA, ICNF, IFCN e DRAM) e do censo de gaivota-de-Audouin na Ria Formosa (coordenado pelo ICNF), ambos realizados em 2021.

10. Plantação de vegetação autóctone (Oeiras)

No dia 18 de Setembro, no próximo sábado, esta acção de plantação de espécies autóctones do ecossistema costeiro e dunar na arriba da Praia da Torre, concelho de Oeiras, vai estar aberta à comunidade.

11. Documentário “Proteger a rapina das searas”

No âmbito do projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar”, a organização não governamental de ambiente Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural produziu este documentário de curta metragem, intitulado “Proteger a rapina das searas”, que pretende sensibilizar a comunidade em geral e os agricultores em particular para a importância de proteger o tartaranhão-caçador (Circus pygargus), uma ave de rapina migradora que tem um estatuto de ameaça “Em perigo” de extinção em Portugal e cujas populações têm registado um declínio continuado no território nacional. Disponível online.

12. Vídeo: conhecer algumas plantas e animais da Praia da Aguda

A zona entre-marés do litoral rochoso é um dos ecossistemas mais diversificados e ricos do litoral português. Através deste vídeo comentado pretende-se dar a conhecer algumas das plantas e dos animais que constituem este sistema, dando ênfase nas adaptações ao meio ambiente e nas inter-relações entre os diferentes níveis tróficos.


Saiba mais.

Espreite aqui o resto do programa.