Fotos: Joana Bourgard/Wilder

Cinco sinais de que a Primavera está a chegar

Um naturalista no Jardim Gulbenkian

Mesmo nos dias cinzentos e frios que marcam muitas vezes o último mês de Inverno, há pequenas pistas que indicam que esta época de descanso e recolhimento está a terminar. É que a Primavera não respeita calendários oficiais e já está a dar os primeiros passos no Jardim. Procure estes e outros sinais de mudança da estação no Jardim Gulbenkian e em outros espaços verdes.

 

Margaridas

 

As pequenas margaridas de pétalas brancas (Bellis perennis) estão entre as primeiras flores que pode encontrar nos relvados quando os dias começam a ficar claramente mais compridos, dando uma cor acrescida ao jardim ainda no frio de Fevereiro. É nesse mês que esta planta nativa começa a florescer em força.

 

Folhados

 

Os arbustos de folhado (Viburnum tinus) são também dos primeiros a anunciar que o Inverno está a chegar ao seu fim. Por esta altura, pelo meio dos ramos sempre verdes, já se podem ver grandes cachos de pequenas flores brancas, um festim para os insectos polinizadores.

 

Abelhas e abelhões

 

Se procurar atentamente, poderá notar a intensa atividade das abelhas melíferas e dos abelhões em torno dos alecrins (Rosmarinus officinalis) em flor e dos arbustos de folhado, em especial quando espreita o sol. É em que as obreiras começam a colher néctar e pólen, uma tarefa que em Portugal se prolonga quase sempre até ao final do Verão.

 

As primeiras folhas

 

As árvores do jardim, ainda com os ramos despidos de folhas, também já se estão a preparar para a Primavera. Tal é o caso das romãzeiras (Punica granatum), dos choupos (Populus sp.) e dos carvalhos (Quercus sp.). Se observar com atenção os ramos mais baixos, pode ver pequenos rebentos delicados de cor rosada, avermelhada ou verde, por vezes já com minúsculas folhas que começam a despontar.

 

Andorinhas

 

Andorinha-das-chaminés. Foto: Diogo Oliveira

Entre Fevereiro e Março costumam chegar as muitas aves migradoras que vêm a Portugal fazer os ninhos. As andorinhas-das-chaminés (Hirundo rustica) e as andorinhas-dos-beirais (Delichon urbicum) nunca passam despercebidas. Com as suas caudas bifurcadas, voam pelo jardim em busca de insectos para se alimentarem.

 

Agora é a sua vez.

Quantas destas sugestões consegue encontrar? O desafio é fotografar ou desenhar os sinais da chegada da Primavera que observar e partilhar as suas imagens connosco, enviando para jardim@gulbenkian.pt. Iremos publicar as melhores na Wilder.

Ao longo do ano, a cada mês, a revista Wilder sugere-lhe a natureza que não pode perder no Jardim Gulbenkian.

Precisamos de pedir-lhe um pequeno favor…

Se gosta daquilo que fazemos, agora já pode ajudar a Wilder. Adquira a ilustração “Menina observadora de aves” e contribua para o jornalismo de natureza. Saiba como aqui.