Já pode ajudar a escolher a Árvore Portuguesa do Ano 2021

Pormenor do Plátano do Rossio, Portalegre, concorrente na edição deste ano. Foto: Ana M. Fonseca dos Santos

As votações para a árvore que vai representar Portugal na edição de 2021 do concurso Tree of the Year já abriram.

Até dia 23 de Novembro, é possível votar em duas árvores favoritas através de um sistema de votação online, coordenado pela UNAC – União da Floresta Mediterrânica. A vencedora será anunciada no dia 26.

Plátano do Rossio, Portalegre. Foto: Ana M. Fonseca dos Santos

“As árvores portuguesas são motivo de orgulho deste concurso nas edições anteriores”, afirma em comunicado a UNAC, uma união de organizações de produtores florestais. Em 2018, no primeiro ano de participação no concurso europeu, Portugal arrecadou o primeiro lugar com o “Sobreiro Assobiador”. Seguiu-se um terceiro lugar na edição de 2019, com a “Azinheira Secular do Monte do Barbeiro”, e a sexta posição em 2020, com o “Castanheiro de Vales”.

o sobreiro
O “Sobreiro assobiador” que venceu a competição europeia em 2018. Foto: UNAC

O objectivo deste concurso, que actualmente junta 16 países e é organizado pela Environmental Partnership Association, “é destacar a importância das árvores na herança cultural e ambiental da Europa e também dinamizar a ligação da sociedade às árvores”.

“Quer isoladas nos espaços urbanos, quer em conjunto nos jardins e espaços florestais, [as árvores] promovem outras funções como a conservação do solo, o sequestro de carbono e a regulação do ciclo da água, bem como a produção sustentável de bens necessários a todos: madeira, cortiça, papel, produtos cárnicos, cogumelos, frutos secos, plantas aromáticas e medicinais”, sublinha a UNAC.

Schotia do Jardim Botânico da Ajuda, concorrente este ano. Foto: Jardim Botânico da Ajuda

Entre as 34 árvores portuguesas que nesta edição foram apresentadas como candidatas ao concurso, foram escolhidas dez que estão agora para votação online.

A oliveira do Mouchão, considerada a árvore mais antiga da Península Ibérica e uma das concorrentes este ano. Foto: Câmara Municipal de Abrantes

Do júri que seleccionou essas árvores fazem parte António Bagão Félix, autor do livro “Trinta árvores” e antigo ministro da Segurança Social e das Finanças, Rui Queirós, ligado aos processos de classificação de arvoredo de interesse público no Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e António Gonçalves Ferreira, presidente da UNAC.


Agora é a sua vez.

Conheça aqui as 10 candidatas a Árvore Portuguesa do Ano 2021.