Que espécie é esta: gorgulho

A leitora Rafaella Magalhães fotografou este insecto em Algés a 3 de Fevereiro e quis saber qual a espécie a que pertence. Eva Monteiro responde.

“Num nublado dia de confinamento este pequeno, estranho e interessante inseto surgiu na nossa floreira. Ele voa? Como foi parar a um 4º andar? E quanto tempo vive este inseto?”, perguntou à Wilder a leitora.

Trata-se de um gorgulho do género Lixus sp.

Espécie identificada e texto por: Eva Monteiro, Rede de Estações da BiodiversidadeTagis – Centro de Conservação das Borboletas de Portugal.

Este insecto que apareceu na floreira da Rafaella é um gorgulho do género Lixus sp.

Quanto à sua capacidade de voar, tenho de confessar que nunca vi nenhum gorgulho do género Lixus a voar. Mas imagino que o façam, é assim que se deslocam de planta para planta e, provavelmente, como o bicho da foto terá chegado ao 4º andar. 

Outro comportamento que têm estes gorgulhos é o de se fazerem de mortos. Quando se sentem ameaçados atiram-se ao chão e é quase impossível encontrá-los entre a vegetação.

Quanto ao seu tempo de vida, também não sei dizer com precisão. Há mais de 50 espécies deste género na Europa e a maioria tem várias gerações por ano, pelo que os adultos não devem viver mais que algumas semanas. Mas isto vai variar com a espécie e a altura do ano. 

Os Lixus pertencem à família Curculionidae, uma família com muitas espécies em Portugal e em todo o mundo a que pertencem os escaravelhos conhecidos como gorgulhos.

Estes caracterizam-se por ter a cabeça prolongada num “focinho” que, no caso do género Lixus, é especialmente prolongado.

Outra característica dos gorgulhos é terem as antenas a formar uma espécie de “cotovelo”.

Em Portugal há mais de 20 espécies de Lixus, todas elas de dimensões consideráveis.


Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie-nos para o nosso email a fotografia, a data e o local. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.


Já que está aqui…

Apoie o projecto de jornalismo de natureza da Wilder com o calendário para 2021 dedicado às aves selvagens dos nossos jardins.

Com a ajuda das ilustrações de Marco Nunes Correia, poderá identificar as aves mais comuns nos jardins portugueses. O calendário Wilder de 2021 tem assinalados os dias mais importantes para a natureza e biodiversidade, em Portugal e no mundo. É impresso na vila da Benedita, no centro do país, em papel reciclado.

Marco Nunes Correia é ilustrador científico, especializado no desenho de aves. Tem em mãos dois guias de aves selvagens e é professor de desenho e ilustração.

O calendário pode ser encomendado aqui.