Vespa-asiática. Foto: Dulce d'Araújo

Que espécie é esta: ninho primário de vespa-asiática

A leitora Dulce d’Araújo fotografou esta vespa e este ninho numa ponta de um telhado em Aveiras de Cima a 6 de Maio e pediu ajuda na identificação. Albano Soares responde.

“Tenho uma vespa ou abelha a fazer um ninho, mas é diferente dos que conheço. Este ninho será perigoso?”, perguntou a leitora à Wilder.

Trata-se de uma vespa-asiática (Vespa velutina).

Espécie identificada por: Albano Soares, Rede de Estações da BiodiversidadeTagis – Centro de Conservação das Borboletas de Portugal.

“É o ninho primário da Vespa velutina. Esse deve ser destruído quanto antes antes que a colónia cresça”, respondeu Albano Soares.

Esta espécie invasora terá chegado a Portugal em 2011 pela região de Viana do Castelo. Neste momento “só não é observada no Alentejo e no Algarve”, explicou.

A sua picada “só se torna potencialmente perigosa se a vítima for alérgica e desencadear um choque anafilático com consequências fatais”. “Como no caso das outras vespas, recomenda-se prudência na aproximação de uma colónia destas espécies.”

Ainda assim, é importante não a confundir com espécies nativas de Portugal, como a vespa-europeia, importantes para a manutenção da biodiversidade. 

“Todos os avistamentos de ninhos ou de vespas devem ser reportados no portal stopvespa.icnf.pt“, disse a investigadora Maria João Verdasca, num artigo na Wilder. Nesse portal pode fazer a georreferenciação da ocorrência. “Ou então pode ligar para a linha SOS AMBIENTE (808 200 520). Neste caso o observador será informado do procedimento a seguir para a efetiva comunicação da suspeita”. 

Estas vespas acasalam no Outono, com o surgimento dos machos e fêmeas reprodutores. As futuras vespas-rainhas, depois de fecundadas, procuram um local para passar o Inverno. Quando chegam os dias mais amenos, em Fevereiro ou Março, iniciam uma nova colónia. As obreiras, os machos e a rainha deste ano morrem quando chegam os dias mais frios.

Saiba aqui o que fazer se encontrar uma vespa-asiática.


Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie para o nosso email a fotografia, a data e o local. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.

Equipa Wilder

A nossa missão é inspirá-lo a apreciar a natureza e a melhorar a biodiversidade, através de conteúdos de elevada qualidade editorial que lhe sejam úteis.