Foto: José Mário Félix

Amendoeiras: porque libertam grandes pedaços de resina no tronco?

Torne-se um perito

O leitor José Mário Félix ficou curioso sobre “uma espécie de resina” que as amendoeiras libertam, “sob a forma de excrescências mais ou menos abundantes”. O Centro de Ecologia Funcional e o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC) respondem com a explicação.

 

“A amendoeira liberta no caule uma espécie de resina ou cola sob a forma de excrescências mais ou menos abundantes. Penso que as cerejeiras e os pessegueiros também o fazem. A minha questão é saber que tipo de substância (ao nível químico) é esta resina, qual a sua função e em que circunstâncias temporais a planta segrega tal produto.”

 

tronco de amendoeira com espécie de bola laranja por cima

Foto: José Mário Félix

 

De acordo com o JBUC e com os especialistas do Centro Funcional de Ecologia, “esta resina é uma mistura de polissacarídeos de cadeia longa que se tornam mucilaginosos quando misturados com água.”

Esta libertação de resina pode acontecer em várias espécies, “especialmente quando se encontram a crescer em condições adversas como elevada altitude e/ou seca”, advertem.

E acrescentam ainda que estas excrescências “podem também ser o resultado de danos mecânicos no tronco, servindo [esta resina] como selante da ferida e prevenindo a desidratação da planta”.

É necessário aliás estar alerta, pois nalguns casos essas excrescências “podem também resultar da infecção da planta por microrganismos.”

 

Saiba mais.

Conheça aqui o Consultório Botânico do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, para onde poderá enviar todas as dúvidas e questões que tiver sobre plantas.