Fotos: Direcção Regional de Ambiente dos Açores

Área do Jardim Botânico do Faial vai quase duplicar

Plantas

Deverão estar concluídas em Maio as obras de ampliação do Jardim Botânico do Faial, previu o director regional do Ambiente. A nova área vai receber o Orquidário dos Açores e a reinstalação do Banco de Sementes dos Açores.

 

As notícias foram dadas pelo director regional do Ambiente, Hernâni Jorge, durante uma vista às obras que vão quase duplicar a área do Jardim Botânico do Faial, que passará dos actuais 8.000 m2 para cerca de 15.000 m2.

A intervenção, orçada em cerca de 650 mil euros, vai possibilitar ao Jardim Botânico receber uma área dedicada às espécies agrícolas tradicionais e novos espaços de reprodução de habitats e zonas húmidas.

“Estas intervenções contemplam ainda a reinstalação do Banco de Sementes dos Açores, criando melhores condições para a preservação do nosso património genético”, disse Hernâni Jorge, em comunicado. Este Banco de Sementes, criado em 2003, tem como objectivo recolher e manter uma coleção de sementes viáveis das espécies mais raras dos Açores.

O novo Orquidário dos Açores terá uma área de 900 m2 e receberá uma coleção de mais de 7.000 orquídeas de quase 800 variedades diferentes.

 

 

Depois dos trabalhos de construção civil, e até ao Outono, seguem-se os trabalhos de plantação, instalação dos habitats e das estruturas informativas e interpretativas e de organização das exposições, adiantou.

Segundo Hernâni Jorge, estas intervenções são importantes para o “incremento dos projetos de conservação ‘ex situ’ a cargo da Direção Regional do Ambiente, no contexto de uma política efetiva de conservação da natureza e de valorização do património natural dos Açores”.

O Jardim Botânico do Faial, aberto desde 1986, fica numa antiga exploração agrícola de pastagens e pomares de laranjeiras da Quinta de São Lourenço, no Vale dos Flamengos. Tem como missão, por exemplo, manter uma coleção de plantas vivas associada à investigação botânica – onde se destacam a conservação de sementes de espécies endémicas e sua propagação, e ainda um herbário – recuperação de habitats e sensibilização para a importância da riqueza florística natural dos Açores.

Em 1995, o Jardim Botânico estendeu-se a outra zona, 60.000 m², localizada na freguesia de Pedro Miguel, a 400 m de altitude. Aqui faz-se a recuperação de habitats e espécies características da Laurissilva húmida e super-húmida.