Um dos papagaios que foi devolvido à natureza. Foto: Ibama

Brasil devolve à natureza 233 animais selvagens vítimas de tráfico

Conservação

Papagaios e piriquitos foram alguns dos 233 animais selvagens apreendidos em vários estados brasileiros, a maioria vítima de tráfico, e devolvidos à natureza no final de Novembro, revelou o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

 

Os animais regressaram à natureza depois de terem sido reabilitados em Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama em cinco estados: Alagoas, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe. Aí, os animais receberam “alimentação adequada e recuperação física e psicológica”, consideradas “imprescindíveis para o desenvolvimento das capacidades que permitem a sobrevivência no meio silvestre”.

Segundo um comunicado do Ibama, entre os animais devolvidos ao seu habitat estão 142 passeriformes – como 79 papa-capins e 39 bicudos – , 19 papagaios-do-mangue e 50 periquitos-do-sertão.

As devoluções à natureza aconteceram ao longo de seis dias em Pernambuco e em Sergipe, numa área florestal de 2.000 hectares “com fontes de alimento e água em abundância”. Esta área está registada no programa Áreas de Soltura de Animais Silvestres (Asas) e “dispõe de segurança e vigilância, além de um viveiro apropriado para a adaptação das espécies ao novo ambiente”, explica o instituto.

“O retorno desses animais às suas áreas de origem é fundamental para garantir a renovação populacional”, comentou Walber Feijó, analista ambiental que coordenou a operação. Este “trabalho de conservação da fauna brasileira que, em muitos casos, está ameaçada de extinção, só é possível com a devida articulação entre unidades do Ibama, órgãos estaduais e instituições de pesquisa voltadas para a conservação da biodiversidade”, salientou ainda.

Este ano, de Janeiro a Novembro, o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ceará já recebeu um total de 11.000 animais. O Ibama tem vindo a reforçar os Centros de Triagem para melhorar as acções de conservação da biodiversidade. “Em Abril foi concluída a reforma do Cetas do Ceará e o de Sergipe será reinaugurado em 7 de Dezembro”, disse João Pessoa Moreira, coordenador-geral de Gestão da Biodiversidade, Florestas e Recuperação Ambiental. “Também estão previstas obras para melhoria dos Centros de Triagem de Goiânia e do Distrito Federal”, acrescentou.

Os espaços que recebem animais apreendidos começaram a ser construídos no início da década de 1970. Atualmente, há 24 Cetas do Ibama em funcionamento no Brasil.

Em 2017, foram devolvidos à natureza um total de 34.764 animais.