Cientistas descobrem “espécie espectacular de morcego” em África

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie para a Ciência de um morcego em tons laranja e pretos numa cadeia montanhosa de África, foi recentemente revelado.

Os investigadores – liderados pelo Museu Norte Americano de História Natural e pela Bat Conservation International – descrevem o morcego Myotis nimbaensis num artigo publicado a 13 de Janeiro na revista American Museum Novitates.

“Numa era de extinções, uma descoberta como esta oferece-nos esperança”, comentou, em comunicado, Winifred Frick, cientista da Bat Conservation International e professora na Universidade de Califórnia (Santa Cruz).

“É um animal espectacular. Tem o seu pêlo de um laranja vivo e, porque é tão distinto, isso levou-nos a perceber que ainda nunca tinha sido descrito para a Ciência. Descobrir um novo mamífero é raro. Tem sido um sonho meu desde criança.”

Myotis nimbaensis. Foto: Bat Conservation International

Em 2018, Frick e os seus colegas da Bat Conservation International e da Universidade de Maroua, nos Camarões, estavam nas Montanhas Nimba, na Guiné, em trabalho de campo nas grutas naturais e túneis de minas construídos nos anos 1970 e 1980 e que, desde então, têm sido colonizados por morcegos.

Os investigadores queriam compreender que espécies de morcegos usam esses túneis e em que alturas do ano.

Muitos desses túneis estão em diferentes fases de colapso e vão desaparecer com o tempo.

Um dia, durante esse trabalho de campo, os investigadores descobriram algo peculiar: um morcego que não se parecia com nenhum outro conhecido para aquela região. Ao final da tarde, telefonaram para Nancy Simmons, especialista em morcegos do Museu Norte-Americano de História Natural, para pedir ajuda.

“Assim que olhei para ele, concordei que se tratava de algo novo”, disse Simmons, autora principal do artigo e membro da Bat Conservation International. “Depois começou o longo caminho de documentar e reunir todos os dados necessários para provar que esta é, sem dúvida, uma espécie nova.”

Esse trabalho passou por dados morfológicos, de ecolocalização e genéticos e pela comparação com espécimes das colecções daquele Museu, do Museu de História Natural Nacional Smithsonian e do Museu Britânico.

A espécie acabou por receber o nome científico de Myotis nimbaensis (“de Nimba”), em referência à cadeia montanhosa na qual foi encontrado. As montanhas Nimba são conhecidas como as “ilhas do céu africanas”, com picos a elevar-se aos 1.750 metros acima do nível do mar. São a casa de uma biodiversidade excepcional, incluindo morcegos.

Esta investigação faz parte de um esforço actualmente em curso para ajudar os morcegos da cadeia montanhosa de Nimba a sobreviver. A Bat Conservation International e a companhia mineira local (Société des Mines de Fer de Guinée) já começaram a colaborar para construir novos túneis, reforçados para durarem por séculos, e para melhorar habitats.


Já que está aqui…

Apoie o projecto de jornalismo de natureza da Wilder com o calendário para 2021 dedicado às aves selvagens dos nossos jardins.

Com a ajuda das ilustrações de Marco Nunes Correia, poderá identificar as aves mais comuns nos jardins portugueses. O calendário Wilder de 2021 tem assinalados os dias mais importantes para a natureza e biodiversidade, em Portugal e no mundo. É impresso na vila da Benedita, no centro do país, em papel reciclado.

Marco Nunes Correia é ilustrador científico, especializado no desenho de aves. Tem em mãos dois guias de aves selvagens e é professor de desenho e ilustração.

O calendário pode ser encomendado aqui.