Abelha. Foto: Suzanne D. Williams/Pixabay

Eurodeputados pedem redução de pesticidas para salvar abelhas europeias

Monitor

O Parlamento Europeu pediu ontem à Comissão Europeia para melhorar a sua Iniciativa Polinizadores, adoptando novas medidas para proteger as abelhas e outros polinizadores.

Numa resolução adoptada ontem, o Parlamento saudou a Iniciativa Polinizadores da União Europeia (UE), lançada a 1 de Junho de 2018. 

No entanto, os eurodeputados em Estrasburgo salientaram que esta, tal como está, é insuficiente para proteger os polinizadores.

Estes animais estão em declínio por causa da agricultura intensiva, dos pesticidas, das alterações climáticas, das alterações no uso do solo, da perda de habitat e das espécies invasoras.

Por isso, o Parlamento Europeu pressionou a Comissão a apresentar um programa de acção mais ambicioso e com os recursos suficientes para a sua implementação. Tudo porque, salientou, “os polinizadores são essenciais para a biodiversidade, agricultura e reprodução em muitas espécies de plantas”.

Uma das medidas necessárias, segundo Estrasburgo, é a Política Agrícola Comum (PAC) prever uma maior redução no uso dos pesticidas. A este respeito, os eurodeputados pedem metas de redução obrigatórias a nível da UE, a serem incluídas na próxima revisão da Directiva sobre o uso sustentável de pesticidas.

Além disso, a resolução adoptada ontem pede mais financiamento para apoiar investigação às causas do declínio das abelhas, a fim de proteger a diversidade das espécies de polinizadores. E defende a importância de várias medidas, entre elas a promoção e criação de habitats para os polinizadores nas áreas urbanas.

Cerca de 84% das espécies agrícolas e 78% das espécies de flores silvestres da UE dependem, pelo menos em parte, da polinização feita por animais, segundo estimativas da Comissão Europeia.