Foto: Herman Schrama

Que espécie é esta: grilo-de-sela fêmea

Naturalistas locais

O leitor Herman Schrama fotografou este insecto em Santa Catarina, perto das Caldas da Rainha, a 30 de Janeiro, e quis saber qual a espécie a que pertence. Eva Monteiro responde.

 

O insecto foi avistado, mais especificamente, em Casal da Marinha.

A espécie que observou é um grilo-de-sela do género Lluciapomaresius sp.

Espécie identificada por: Eva Monteiro, Rede de Estações da Biodiversidade, Tagis – Centro de Conservação das Borboletas de Portugal.

O insecto que Herman Schrama encontrou é uma fêmea.

Eva Monteiro explicou que este grilo-de-sela, do género Lluciapomaresius sp., é dificil identificar por fotografia. Por isso não é possível chegar à espécie, só ao género.

“Os grilos-de-sela distinguem-se por terem grandes dimensões, pelo pronoto (zona atrás da cabeça) muito desenvolvido que lembra uma sela de montar e pelas tégminas (nome dado às anteriores endurecidas dos ortópteros) muito reduzidas e de forma arredondada”, explica Eva Monteiro.

“São bons cantores. Produzem um canto metálico, que faz lembrar o som das cigarras, através da fricção das asas anteriores.”

Entre as 103 espécies que já identificámos para os nossos leitores, no âmbito do projecto “Que espécie é esta?”, estão sete grilos e saltões:

  • Grilo-do-mato ou saltão (Thyreonotus bidens)
  • Grilo-de-sela-gordo-da-cruz (Lluciapomaresius)
  • Saltão-cabeça-de-cone (Ruspolia nitidula)
  • Grilo-de-sela (Neocallicrania)
  • Saltão-castanho (Platycleis)
  • Saltão déctico-da-face-branca (Decticus albifrons)
  • Grilo-de-sela-de-perna-longa (Steropleurus pseudolus)

 

Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie para o nosso email a fotografia, a data e o local. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.

Precisamos de lhe pedir um pequeno favor…

Se gosta daquilo que fazemos, agora já pode ajudar a Wilder. Adquira a ilustração “Menina observadora de aves” e contribua para o jornalismo de natureza. Saiba como aqui.