A leitora Andreia Aguiar fotografou uma lagartixa na zona de Sequeiros, Viseu, no final de Agosto, e pediu ajuda na identificação da espécie. O investigador Luís Ceríaco responde.

 

Tudo indica que o réptil em questão é uma lagartixa-de-Carbonell, com o nome científico Podarcis carbonelli.

 

Foto: Andreia Aguiar

 

Espécie identificada por: Luís Ceríaco, especialista em répteis e investigador do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto.

Trata-se de uma lagartixa que ocorre apenas em Portugal e Espanha. Pode ser encontrada sobretudo no solo, junto a arbustos presentes em clareiras de carvalhais e de pinhais ou de bosques mistos, indica o Guia dos Anfíbios e Répteis de Portugal. Pode observar-se também em zonas de dunas, entre os arbustos, com destaque para as camarinheiras.

 

arbusto com bagas brancas

Camarinheira, na Marinha Grande. Foto: Júlio Reis/Wiki Commons

 

A lagartixa-de-Carbonell costuma estar activa desde Fevereiro até Novembro, mas quando chegam os dias mais frios procura abrigo debaixo de raízes e pedras. Come sobretudo escaravelhos e aranhas e reproduz-se entre Março e Julho.

Em Portugal, ocorre em zonas de baixa altitude nas regiões do Douro e Beira Litoral, especialmente em zonas montanhosas e áreas de dunas, e também nalgumas serras da Beira Alta, nos planaltos em redor de Viseu e ainda na Serra da Malcata (Beira Baixa). A sul do Rio Mondego, pode ver-se por vezes em áreas de dunas, como o Pinhal de Leiria, Santa Cruz-Porto Novo, Cabo Raso e Costa Vicentina.

A espécie está classificada como Em Perigo de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza, que alerta para a diminuição das populações desta lagartixa e para a destruição de habitat causada pela construção de empreendimentos turísticos e pelas plantações para a indústria madeireira, no Centro do país.

Esta lagartixa ganhou o estatuto de espécie apenas em 2002, após estudos da morfologia e variabilidade genética. Antes era considerada uma subespécie da lagartixa-de-Bocage (Podarcis bocagei).

 

Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie-nos para o nosso email a fotografia, a data e o local. No caso de plantas, deve enviar fotos de pormenor das folhas, frutos e flores (se houver), se possível também tiradas contra o céu. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.

Precisamos de pedir-lhe um pequeno favor…

Se gosta daquilo que fazemos, agora já pode ajudar a Wilder. Adquira a ilustração “Menina observadora de aves” e contribua para o jornalismo de natureza. Saiba como aqui.