Pepino-de-São-Gregório (Ecballium elaterium). Foto: Adrian198cm/Wiki Commons

Que espécie é esta: pepino-de-São-Gregório (ou pepino-explosivo)

Naturalistas locais

A leitora Sara Carvalho fotografou um grupo de plantas junto ao Castelo de Torres Vedras, no dia 30 de Setembro, e pediu ajuda na identificação. O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra responde.

 

Tudo indica que as plantas fotografadas são da espécie Ecballium elaterium, conhecida pelo nome comum de pepino-de-São-Gregório. No Reino Unido, dão-lhes o sugestivo nome de ‘pepino-explosivo’ (em inglês, ‘exploding cucumber’).

 

algumas plantas verdes

Pepino-de-São-Gregório (Ecballium elaterium). Foto: Sara Carvalho

 

Espécie identificada por: Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, que tem a decorrer um projecto de consultas botânicas para o qual poderá enviar todas as perguntas e dúvidas que tiver sobre as plantas (consultorio.botanico@uc.pt).

A fazer justiça ao nome pelo qual é conhecida esta planta entre os ingleses, a maneira de dispersão das sementes do pepino-de-São- Gregório é fantástica e fora do comum, como se pode ver por exemplo neste vídeo. São verdadeiros canhões de sementes!

Esta planta nativa é também uma espécie medicinal, mas com a qual é necessário ter muito cuidado, pois pode causar algumas irritações.

Pertence à família das Cucurbitaceae, que inclui algumas espécies hortícolas como as abóboras, as melancias, os pepinos e as curgetes, mas ao contrário destas não deve ser ingerida.

Em Portugal, pode ser encontrada em terrenos baldios urbanos, como foi o caso desta, na encosta do Castelo de Torres Vedras, mas também à beira dos caminhos e em muros.

 

Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie-nos para o nosso email a fotografia, a data e o local. No caso de plantas, deve enviar fotos de pormenor das folhas, frutos e flores (se houver), se possível também tiradas contra o céu. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.