Estas são onze árvores emblemáticas para conhecer em Alenquer

Foto: CM Alenquer

A nova Rota das Árvores Emblemáticas e Autóctones de Alenquer percorre as 11 freguesias do município. Com a ajuda da equipa do projecto, fique a saber mais sobre cada uma.

1. Freixo-comum na freguesia de Alenquer

39.055779º; -9.012165º

Foto: CM Alenquer

O freixo-comum é uma espécie nativa do Oeste Mediterrânico, está associada às margens dos cursos de água. Este espécime caracteriza-se por uma “barriga” de formato peculiar e está inserido num bosque ripícola repleto de diversos freixos, no interior da malha urbana. Para além de ser um importante refúgio para a biodiversidade, representa um pulmão essencial para a vila de Alenquer. 

2. Carvalho-cerquinho na freguesia de Carnota

39.028736º; -9072696

Foto: CM Alenquer

A árvore eleita na freguesia de Carnota é um carvalho-cerquinho. Esta é uma das árvores mais emblemáticas que integram a Rota. Caracteriza-se pelo seu porte imponente, servindo de habitat para muitas espécies de insectos e aves. Ao olhar com atenção é possível observar diversos líquenes no tronco que indicam a boa qualidade do meio envolvente e evidenciam a sua importância para uma grande diversidade de outras espécies. Para quem visitar este espécime, fica o desafio de tentar abraçar o seu majestoso tronco. 

3. Freixo-comum na freguesia de Meca

39.063516º; -9.042588º

Este freixo-comum representa mais um excelente exemplo de um refúgio para a biodiversidade local, tendo em conta a proximidade com a área urbana. Ao visitar este espécime é ainda possível aproveitar a paisagem de beleza admirável de mosaicos diferentes e tão importantes para a conservação da biodiversidade. 

4. Sobreiro na União de Freguesias de Ribafria e Pereiro de Palhacana

39.064746º; -9.070734º

Foto: Luís Pinheiro/Wildstep

Na freguesia de Ribafria pode ser contemplado um soberbo exemplar de uma espécie conhecida pela maioria da população, o sobreiro – a árvore nacional de Portugal e um dos símbolos do país. A presença desta árvore protegida de formato peculiar numa envolvência predominantemente agrícola torna-se particularmente relevante, pois simboliza a resiliência desta espécie altamente adaptada aos nossos solos e às condições climáticas existentes. Constitui também um importante abrigo para uma grande diversidade de espécies. 

5. Freixo-comum na União de Freguesias de Aldeia Galega de Merceana e Aldeia Gavinha

39.082949º; -9.111360º

Na freguesia de Aldeia Galega pode ser observado um freixo-comum inserido num pequeno jardim público. O freixo-comum é uma espécie resistente que se desenvolve de forma relativamente rápida em todos os tipos do solo um pouco por todo o país, sendo esta uma das razões para o seu elevado interesse ornamental. Este exemplar é peculiar pela enorme cavidade que se observa no seu tronco, e que tem servido durante gerações como local de esconderijo para as brincadeiras das crianças da aldeia. É um exemplo da importância cultural que um ser vivo pode ter para as suas populações. 

6. Sobreiro na Freguesia de Olhalvo

39.099643º; -9.080143º

Foto: CM Alenquer

Na Freguesia de Olhalvo ocorre outro magnífico exemplar de sobreiro, que para além de uma beleza natural única tem um papel de extrema importância no combate às alterações climáticas e na preservação da biodiversidade local, derivada da sua envolvente vitivinícola. 

7. Carvalho-cerquinho na freguesia de Ventosa

39.114520º; -9.094848º

Foto: CM Alenquer

Na freguesia de Ventosa é possível estar na presença de um exemplar peculiar de carvalho-cerquinho, cujo tronco atravessa um muro, o que lhe proporciona uma forma curiosa. A quem visita esta árvore fica o convite: aproximar-se e observar que o seu tronco está coberto de reentrâncias que servem de abrigo para diversas espécies de insectos. 

8. Sobreiro na freguesia de Vila Verde dos Francos

39.151333º; -9.100276º

Foto: Luís Pinheiro/Wildstep

Na Freguesia de Vila Verde dos Francos encontramos um exemplar de sobreiro distinto dos outros indivíduos que integram a Rota. Este exemplar encontra-se inserido num pequeno bosquete constituído essencialmente por outros sobreiros e outras espécies nativas. A presença deste sobreiro e do pequeno bosquete onde aquele está inserido, além de beneficiar e promover a biodiversidade, é um contributo essencial para o combate às alterações climáticas através da retenção carbónica. 

9. Carvalho-cerquinho na União de Freguesias de Abrigada e Cabanas de Torres

39.131630º; -9.034614º

Observa-se aa freguesia de Abrigada outro exemplar de carvalho-cerquinho que não deixa a desejar no seu esplendor. Caracteriza-se pela sua copa frondosa que proporciona uma larga sombra e pelo seu grande porte, tratando-se certamente de um exemplar com várias décadas. Para além de, ao longo de todos estes anos, ter vindo a proporcionar um importante refúgio para a biodiversidade, desempenha outros serviços essenciais como o reforço na recuperação de solos degradados, limitando a erosão e facilitando a infiltração de água no solo. 

10. Sobreiro na Freguesia de Ota

39.102292º; -8.979693º

Foto: Daniel Pinheiro/Wildstep

O sobreiro da Freguesia de Ota está inserido num bom exemplo de um dos fragmentos de montados de sobro que podem ser encontrados no concelho de Alenquer. Este exemplar impressiona pela sua beleza natural e formato peculiar dos ramos, lembrando uns braços abertos. A presença do núcleo de sobreiros na sua envolvência constitui um nicho de enorme importância para a sobrevivência de uma grande diversidade de plantas, fungos, aves, répteis, insetos e mamíferos. 

11. Sobreiro na União de Freguesias de Carregado e Cadafais

39.034148º; -8.982131º

É possível observar outro sobreiro na Freguesia do Carregado, sendo totalmente distinto dos restantes espécimes integrados na Rota. Este espécime encontra-se totalmente inserido no contexto urbano, demonstrando que é possível a coexistência e compatibilização desta espécie com a atividade humana. Representa um exemplo claro da resiliência destas árvores à humanização do território, bem como da sua importância em ambientes urbanos. Isto porque disponibiliza abrigo para as espécies em contexto urbano e promove importantes serviços, incluindo a regulação da temperatura e a retenção de poluentes atmosféricos. 


Saiba mais.

Descubra como e porque é que nasceu esta nova rota e quais são ser os próximos passos do projecto.

Inês Sequeira

A minha descoberta do mundo começou nas páginas dos livros. Desde que aprendi a ler, devorava tudo o que eram livros e enciclopédias em casa. Mais tarde, nos jornais, as minhas notícias preferidas eram as que explicavam e enquadravam acontecimentos que de outra forma seriam compreendidos apenas pelos especialistas. E foi com essa ânsia de aprender e de “traduzir” o mundo que me formei como jornalista. Comecei em 1998 na área de Economia do PÚBLICO, onde estive 14 anos a escrever sobre transportes, aviação, energia, entre outros temas. Fui também colaboradora do Jornal de Negócios e da agência Lusa. Juntamente com a Helena Geraldes e a Joana Bourgard, ajudei em 2015 a fundar a Wilder, onde finalmente me sinto como “peixe na água” e trabalho para um mundo melhor. Aqui escrevo sobre plantas, animais, espécies comuns e raras, descobertas científicas, projectos de conservação, políticas ambientais e pessoas apaixonadas por natureza. Aprendo e partilho algo novo todos os dias.