São pequenos e tímidos, têm hábitos nocturnos e por isso é fácil não dar por eles, mas os ouriços-cacheiros vivem tanto no campo como na cidade. Verónica Bogalho, do LxCRAS – Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa, diz-lhe como pode dar uma mão a estes discretos mamíferos.

 

Tem um pequeno logradouro ou jardim ou até mesmo uma horta? Então pode ser que os ouriços-cacheiros (Erinaceus europaeus) lhe façam visitas regularmente, mesmo dentro de grandes cidades como Lisboa, afiança a bióloga do LxCRAS. “Existem muitos ouriços em Lisboa”, disse à Wilder. Contas feitas, dos quase 250 ouriços que entraram no centro coordenado pela câmara municipal lisboeta durante os últimos cinco anos, a maioria veio do concelho, seguindo-se os concelhos de Oeiras, Almada e Sintra.

Não se trata de uma espécie em risco de extinção, pois é considerada  Pouco Preocupante pela União Internacional para a Conservação da Natureza, mas é um dos poucos sinais de vida selvagem em meio urbano. Conheça cinco formas simples de ajudar:

 

1.Instalar um pequeno recipiente com água: Nos meses de Primavera e de Verão ou quando não chove durante longos períodos, estes animais precisam de água para matar a sede. Instale uma pequena vasilha ou prato com água num canto discreto do seu jardim ou da sua horta, mas tenha cuidado para a água não ser demasiada, para os ouriços não correrem o risco de se afogar.

 

ouriço num jardim

Foto: Wiki Commons

 

2.Manter o espaço o mais natural possível: Estes mamíferos têm uma alimentação variada que inclui insectos, caracóis e lesmas, pelo que vão ter mais dificuldade para encontrar alimentos em espaços que são apenas vastos relvados ou onde foram utilizados produtos pesticidas, por exemplo. “É muito importante manter o espaço o mais natural possível”, nota Verónica Bogalho.

 

pilriteiro carregado de bagas vermelhas

Pilriteiro. Foto: Jean-Pol Grandmont.

 

3.Plantar arbustos com bagas: Arbustos como os pilriteiros e abrunheiros servem como fonte de alimento para estes mamíferos, mas também como abrigo nos meses mais frios do ano ou quando está muito calor. Lembre-se de que os ouriços são criaturas discretas e por isso agradecem um sítio onde se possam sentir em segurança, de preferência um arbusto fechado onde possam ficar escondidos durante o dia, quando estão menos activos.

4.Construir um abrigo: Se em qualquer caso não tiver arbustos, pode erguer um pequeno amontoado de pedras ou mesmo um abrigo com madeiras não tratadas, que tenham espaço disponível para este pequeno mamífero se abrigar.   “Tente sempre manter esses locais sossegados”, indica a bióloga do LxCRAS. Quem sabe? Até pode ser que tenha utilidade para o nascimento das crias – o que costuma acontecer na Primavera ou Outono, quando costumam nascer entre 2 a 6 ouriços por ninhada.

 

Foto: LxCRAS

 

5. Não deixar os cães à solta: Dos ouriços que recuperam no centro lisboeta de recuperação de fauna silvestre, há casos de animais vítimas de dentadas de cães, mas a verdade é que estes últimos também não ficam em boas condições. “Sabendo que num determinado local há ouriços, não podemos deixar os cães andarem livres sem trela, pois podem  abocanhar um ouriço e ficam com picos no focinho”, explica a mesma responsável.

 

Saiba mais.

Há cada vez mais ouriços a darem entrada no Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa. Saiba porquê.

Recorde também o encontro de Mafalda Ferreira de Lima com um destes simpáticos animais, aqui.