As viagens de Kentaro, um lince-ibérico com três anos de idade, acabaram a 15 de Outubro numa estrada do concelho da Maia. A morte foi anunciada esta manhã pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), quase um ano depois da morte de Hongo nas estradas de Santarém.

 

Kentaro tinha coleira GPS mas desde Março ninguém sabia onde estava. A última emissão da coleira indicava que se encontrava em Ourense, a 367 quilómetros em linha reta do local de solta, em Novembro de 2014, nos Montes de Toledo. Terá percorrido 2.410 quilómetros desde então.

 

Solta de Kentaro, em 2014. Foto: ICNF

Solta de Kentaro, em 2014. Foto: ICNF

O “atropelamento é uma das principais causas de morte de linces ibéricos reintroduzidos”, salienta o ICNF, em comunicado.

Kentaro nasceu no Centro Nacional de Reprodução do Lince-ibérico (CNRLI), em Silves, e foi libertado a 26 de Novembro de 2014 nos Montes Toledo (em Castela-La Mancha), no âmbito do programa ibérico Iberlince para recuperar a distribuição histórica do lince (Lynx pardinus).

Este foi um dos linces-ibéricos do programa que mais viajou. Em Janeiro, passados menos de dois meses de ter sido reintroduzido nos Montes Toledo, Kentaro decidiu dispersar até ao rio Tejo, na Barragem de Castrejon. Desse local, deslocou-se até às proximidades da cidade de Toledo e mais tarde, utilizando o corredor do rio Tejo, entrou nas províncias de Madrid, Cuenca e Guadalajara até às barragens das cabeceiras da bacia deste rio. Aqui cruzou o rio em direção a Norte. Mais tarde, explorou as províncias do sul de Soria e Zaragoza, voltando novamente para Soria, conseguindo chegar à região de La Rioja. Daí, deslocou-se para oeste, pela região de Zamora, tendo entrado em Portugal, a norte de Vimioso em Agosto de 2015.

Depois regressou a Espanha, onde foi alvo de uma tentativa de captura, em Dezembro de 2015. Segundo o ICNF, Kentaro “terá feito, pelo menos, mais de uma centena de quilómetros em território nacional até ao local do atropelamento”.

O lince-ibérico Hongo teve o mesmo destino de Kentaro. Aquele lince era um macho de quatro anos, nascido em Espanha, que estava em Portugal desde 2013. Foi encontrado morto a 22 de Outubro de 2015, por atropelamento, na A23 perto de Vila Nova da Barquinha, distrito de Santarém.

Hongo foi um dos 15 linces-ibéricos que morreram atropelados em 2015 na Península Ibérica.

Saiba mais.

Saiba o que está a ser feito para melhorar as estradas da área de reintrodução de linces, no Alentejo.