Porto de São Miguel na zona de Almeida, na área do Grande Vale do Côa. Foto: Juan Carlos Muñoz Robredo

Área portuguesa de rewilding passa a ser conhecida por Grande Vale do Côa

Conservação

Além da mudança de nome da área envolvida, este projecto de renaturalização na região do Côa ganha agora um novo símbolo: um cavalo selvagem.

 

O objectivo do projecto é a renaturalização de cerca de 120.000 hectares, coordenada pela organização Rewilding Europe, com a criação de um corredor de vida selvagem que ligará a Serra da Malcata, a sul, ao rio Douro, mais a norte. É esse corredor que passa agora a ser conhecido por Grande Vale do Côa, no âmbito deste projecto.

Esta mudança fortalecerá o reconhecimento da área e reflecte a evolução dos esforços de ‘rewilding’ na mesma, que aumentaram desde o início de 2019″, afirma uma nota da Rewilding Portugal, parceira da Rewilding Europe, enviada à Wilder. 

A área do projecto era até agora chamada de “Oeste Ibérico”, mas a verdade é que “o nome ‘Grande Vale do Côa’ está muito mais ligado ao povo português”, afirmou Pedro Prata, à frente da Rewilding Portugal. “No geral, a mudança ajudará a fortalecer a marca da área de nível local para um nível internacional”. 

 

Confluência dos rios Côa e Noeme, zona de Almeida, na área do Grande Vale do Côa. Foto: Juan Carlos Muñoz Robredo

 

O símbolo também deixou de ser um auroque (boi selvagem) para passar a ser um cavalo selvagem, pois a equipa “trabalhará mais com cavalos selvagens do que com tauros (boi selvagem) no futuro.” 

 Também se encontram na área gravuras antigas de cavalos selvagens, e sentimos que as pessoas fazem uma ligação mais imediata dos cavalos selvagens à natureza”, acrescentou Pedro Prata, citado na mesma nota, referindo-se às gravuras rupestres que tornaram o Vale do Côa internacionalmente conhecido.

Além da Rewilding Portugal e da Rewilding Europe, este projecto de renaturalização conta com vários parceiros locais: Universidade de Aveiro, Zoo Logical e ATNatureza. Esta parceria é também responsável pelo LIFE WolFlux, que procura melhorar as condições de vida dos lobos-ibéricos na região.

 

Reservatório de Santa Maria de Aguiar, na área do Grande Vale do Côa. Foto: Juan Carlos Muñoz Robredo

 

A Rewilding Europe, formada em 2011, é uma organização não governamental com sede na Holanda que trabalha com oito áreas ‘rewilding’ em vários países da Europa, incluindo Portugal, Croácia, Roménia, Alemanha, Polónia e Suécia. 

 

Saiba mais.

 Conheça melhor os objectivos do projecto, neste artigo da Wilder.