Libertação de juvenis de salmão em Somiedo. Foto: Principado das Astúrias

Astúrias libertam 10.000 juvenis de salmão para reforçar população da espécie em Somiedo

O Principado das Astúrias libertou, a 17 de Novembro, 10.000 juvenis de salmão-do-atlântico (Salmo salar), espécie Criticamente Em Perigo de extinção, no Parque Natural de Somiedo.

Os peixes foram libertados nos rios Pigüeña e Somiedo pelos técnicos da Consejería de Medio Rural y Política Agraria das Astúrias e por crianças de uma escola pública local. Estas depositaram alguns peixes no rio Somiedo junto à localidade de La Riera.

Libertação de juvenis de salmão em Somiedo. Foto: Principado das Astúrias

Os juvenis, com menos de um ano de idade, têm um tamanho médio de oito centímetros e vieram do centro de ictiofauna de Las Mestas del Narcea.

Esta libertação faz parte de uma acção de sensibilização ambiental dirigida a crianças em idade escolar sobre os ecossistemas fluviais e sobre a importância da conservação dos rios e sobre a flora e fauna que os habita.

Nesse dia, os mais pequenos ficaram a saber mais sobre o ciclo de vida do salmão e quais as diferenças entre uma truta e um salmão.

O Principado das Astúrias realizou este ano um total de 101 reintroduções de truta e de salmão nos vários rios da região. As soltas foram realizadas em duas fases do ciclo de vida destes peixes: uma com juvenis, como a que aconteceu a 17 de Novembro em Somiedo, e a outra com ovos.

Salmão-do-atlântico adulto. Foto: Hartley, William W./Wikimedia Commons

No total foram libertados este ano 834.580 juvenis e 194.825 ovos de truta e 274.095 juvenis e 4.300 ovos de salmão.

Começa este mês a desova do salmão, algo que dura até ao início de Janeiro; a eclosão dos ovos pode prolongar-se até Março. Entre Abril e Junho, estes peixes migram para o mar, onde crescem e, quando atingem a maturidade sexual, regressam aos rios de origem para desovar, fechando-se assim este ciclo.

Em Portugal, é nos rios Minho e Lima onde ocorrem as principais populações desta espécie, classificada como Criticamente Em Perigo de extinção. “A população nacional de Salmo salar é composta por menos de 250 indivíduos maturos”, segundo o Livro Vermelho dos Peixes dos Peixes de Água Doce e Migradores.

Helena Geraldes

Sou jornalista de Natureza na revista Wilder. Escrevo sobre Ambiente e Biodiversidade desde 1998 e trabalhei nas redacções da revista Fórum Ambiente e do jornal PÚBLICO. Neste último estive 13 anos à frente do site de Ambiente deste diário, o Ecosfera. Em 2015 lancei a Wilder, com as minhas colegas jornalistas Inês Sequeira e Joana Bourgard, para dar voz a quem se dedica a proteger ou a estudar a natureza mas também às espécies raras, ameaçadas ou àquelas de que (quase) ninguém fala. Na verdade, isso é algo que quero fazer desde que ainda em criança vi um documentário de vida selvagem que passava aos domingos na televisão e que me fez decidir o rumo que queria seguir. Já lá vão uns anos, portanto. Desde então tenho-me dedicado a escrever sobre linces, morcegos, abutres, peixes mas também sobre conservacionistas e cidadãos apaixonados pela natureza, que querem fazer parte de uma comunidade. Trabalho todos os dias para que a Wilder seja esse lugar no mundo.