Foto: Wilder/arquivo

As exposições em Portugal que nos inspiram

A não perder

Aqui poderá descobrir quais as exposições temporárias que lhe mostram o mundo natural mais de perto ou como nunca o viu, graças à arte de fotógrafos, ilustradores e naturalistas portugueses. Pequenas maravilhas dentro de portas que nos inspiram.

 

 

 

Exposição de fotografias International Garden Photographer Of The Year:

Quando: até 9 de Outubro de 2017

Onde: Parque de Monserrate (Sintra)

Conheça 39 imagens premiadas nesta competição de fotografia especializada em jardins, plantas e botânicas. As fotografias venceram nas categorias “Wildflower Landscapes” (Paisagens Silvestres), “Beautiful Gardens” (Jardins Belos), “The Beauty of Plants” (A Beleza das Plantas), “Bountiful Earth” (Terra Generosa), “Trees, Woods and Forests” (Árvores, Bosques e Florestas), “Breathing Spaces” (Espaços para Respirar) “Macro Art” (Arte Macro), “Wildlife in the Garden” (Vida Selvagem no Jardim), “Greening in the City” (O Verde na Cidade) e a categoria especial “Parques de Sintra”. As fotografias são apresentadas num painel com um formato de 1×1 metro, em suportes de madeira de acácia, de árvores que caíram na Serra de Sintra e que a Parques de Sintra aproveitou para este efeito. Entre as fotografias expostas, está a do vencedor geral da competição, Lee Acaster – que se inspirou no cenário do Parque Nacional de Snowdonia, no País de Gales – e duas da portuguesa Dina Vieira. Um 2.º lugar e uma Menção Elogiosa na categoria “O Verde na Cidade”, com as imagens “Roof Garden” e “Under The Bridge”, respetivamente.

 

Florestas Submersas:

Quando: até 22 de Outubro de 2017

Onde: Oceanário de Lisboa

Visite o maior “nature aquarium” do mundo, com 40 metros de comprimento e 160 mil litros de água doce, criado pelo japonês Takashi Amano (1954-2015). Aqui vivem mais de dez mil peixes e 46 espécies de plantas aquáticas. A obra do aquascaper japonês, que recria um rio tropical, pretende envolver os visitantes numa experiência “de contemplação e conservação da natureza, no seu estado mais puro de equilíbrio”, segundo o Oceanário. As florestas tropicais são dos habitats mais ricos e diversos da Terra, apesar de ocuparem menos de 6% da superfície do planeta. Apesar da sua importância ecológica, estes habitats são, provavelmente, dos mais ameaçados do mundo.

Horários: das 10h00 às 19h00

Veja aqui o making of desta exposição.

 

A Biblioteca dos Passeios e Arvoredos (Lisboa, 1875):

Quando: até 30 de Dezembro de 2017

Onde: Biblioteca Nacional (Lisboa)

 

Nesta exposição poderá conhecer o trabalho desenvolvido pelo pelouro dos Passeios, Jardins e Arvoredos da Câmara Municipal de Lisboa por volta de 1875, a partir da reconstituição da sua biblioteca especializada. Esta inclui tratados sobre a arte dos jardins, almanaques e outras publicações periódicas, livros de botânica, manuais de jardinagem e planos de jardins famosos, na qual os funcionários do pelouro dos Passeios e Arvoredos pudessem encontrar conhecimentos úteis, ficar a par das últimas novidades e tirar dúvidas sobre botânica e horticultura. O primeiro núcleo desta exposição revela o acervo desta biblioteca e os restantes estabelecem uma relação entre a teoria e a prática dos funcionários do pelouro dos Passeios e Arvoredos. Poderá ficar a saber mais sobre a irrigação das árvores, relvados, flores e canteiros dos jardins públicos, um dos maiores desafios com que a Câmara Municipal de Lisboa se debateu na segunda metade do século XIX. A exposição aborda também o fascínio pelas plantas exóticas, em especial pelas palmeiras, e mostra três tipos de jardins públicos, como o Jardim da Estrela, o Jardim do Príncipe Real e o Campo dos Mártires da Pátria.

Horários:

Segunda a sexta-feira: 09h30 às 19h30

Sábado: 09h30 às 17h30

 

 

Francisco Arruda Furtado, discípulo de Darwin:

Quando: até 31 de Dezembro de 2017

Onde: Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa

Conheça um dos mais importantes naturalistas portugueses do século XIX, Francisco Arruda Furtado (1854-1887) e mergulhe no espírito da época. Três salas vão mostrar-lhe a relação de Arruda Furtado com Charles Darwin, a vida e obra do português e o que estudou sobre os Açores, arquipélago onde nasceu.
Horários:
Terça a sexta-feira: 10h00 às 17h00
Fim-de-semana: 11h00 às 18h00
Encerra à segunda-feira e feriados.

Estivemos na inauguração desta exposição. Saiba como foi.

 

 

Adaptações Botânicas:

Quando: até 31 de Dezembro de 2018

Onde: Estufa do Jardim Botânico de Lisboa

Descubra como alguns dos grupos mais fascinantes de plantas – as carnívoras, as stapelias e as orquídeas – se têm adaptado ao longo da evolução. Conheça as estratégias que desenvolveram para colonizar diferentes tipos de habitats e para obter nutrientes, para se protegerem de predadores e para atrair polinizadores. É graças a esta grande diversidade de adaptações que as plantas conseguiram ocupar todos os nichos ecológicos, tornando-se um exemplo de sucesso no planeta.

Horários:
Terça a sexta-feira: 10h00 às 17h00
Fim-de-semana: 11h00 às 18h00
Encerra à segunda-feira e feriados.

 

 

Reis da Europa Selvagem – os nossos últimos grandes carnívoros:

Quando: até 31 de Dezembro de 2019

Onde: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Esta exposição quer dar a conhecer quatro grandes carnívoros europeus – o urso, o glutão, o lince e o lobo. Em especial o lince ibérico, o felino mais ameaçado do mundo, e o lobo ibérico cujas populações estão em perigo de extinção. Ao longo de seis módulos, esta exposição permite contemplar exemplares naturalizados que estarão imersos num cenário expositivo de imagens, sons e novas tecnologias que conduzem o público a uma viagem pelas áreas geográficas onde vivem estes animais e conhecer os seus habitats, biologia, organização social, hábitos alimentares, ameaças e projetos que promovem a sua conservação.

 

Horários:

Terça a sexta-feira: 10h00 às 17h00
Fim-de-semana: 11h00 às 18h00
Encerra à segunda-feira e feriados.

 

 
Agora é a sua vez.
Sabe de alguma exposição dedicada ao mundo natural que gostasse de ver nesta lista? Envie a sua sugestão para geral@wilder.pt. Obrigada!