Fotografia: National Museum of Wildlife Art

Animais de Ai Weiwei no museu americano de Wildlife Art

Cultura

Doze esculturas de bronze que representam os animais do Zodíaco chinês, pelo artista Ai Weiwei, são a mais recente exposição temporária do Museu Nacional norte-americano de Wildlife Art, em Jackson Hole, no Wyoming, inaugurada este mês.

As esculturas das cabeças dos animais, cada uma com cerca de três metros de altura e 360 quilos de peso, foram inauguradas a 9 de Maio no exterior do museu, casa que alberga mais de 5000 obras de 550 artistas sobre a vida selvagem.

A exposição “Ai Weiwei: Circle of Animals/Zodiac Heads” tem vistas sobre as grandiosas montanhas do Parque Nacional Grand Teton e aí vão ficar até 11 de Outubro deste ano.

Os animais – rato, boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cão e porco – foram instalados de acordo com a ordem do Zodíaco chinês e são interpretações dos originais concebidos no século XVIII, durante a Dinastia Qing (1644-1912), para os Jardins da Perfeita Claridade. Estes jardins foram destruídos durante a Segunda Guerra do Ópio, a guerra do Império Britânico e do segundo Império Francês contra a dinastia Qing, entre 1856 e 1860.

 

Fotografia: National Museum of Wildlife Art

Fotografia: National Museum of Wildlife Art

 

“Esta série é uma importante declaração artística dos nossos tempos, demonstrando como a arte contemporânea pode manter a História viva”, comentou o presidente do Museu Nacional de Wildlife Art americano, James C. McNutt, em comunicado. “A poderosa instalação ‘Zodiac Heads’ será uma presença imponente na magnífica paisagem de Jackson”, acrescentou.

A exposição de Ai Weiwei, um dos artistas contemporâneos mais prolíficos e provocadores da China, chega a este museu depois de ter estado na Cidade do México, Chicago, Londres, Toronto, Nova Iorque, São Paulo, Taipei, Los Angeles e Washington.

O Museu Nacional de Wildlife Art americano abriu as portas em 1987 e tem hoje mais de 5000 obras representando animais selvagens de todo o mundo. A sua colecção – com pinturas e esculturas – conta a história da arte sobre a natureza desde 2500 A.C. até ao presente, passando por artistas como John James Audubon, Andy Warhol, Robert Bateman ou Carl Brenders. A maioria das obras são de autores europeus e norte-americanos mas recentemente o museu tem adquirido obras para incluir artistas de todo o mundo, nomeadamente de África e Nova Zelândia.