Devolvidos ao Tejo mais de mil quilos de bivalves apanhados ilegalmente

3 de Julho de 2015

Conquilhas, amêijoas e pés-de-burrinho apanhados ilegalmente na área da Trafaria, Samouco e do estuário, mas ainda vivos, foram as espécies devolvidas ao rio pelo Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa da GNR.

 

Ontem, a GNR detectou duas embarcações de pesca comercial a efectuar pesca de arrasto na zona da Trafaria, onde é proibida a apanha de conquilha. Em comunicado, a GNR diz ter apreendido 510 quilos deste bivalve.

Já no Samouco, os militares apreenderam 500 quilos de amêijoa-japónica porque estavam a ser transportados sem os documentos de registo obrigatórios.

No estuário do Tejo, várias acções de fiscalização resultaram na apreensão de 250 quilos de pé-de-burrinho e material de mergulho para a apanha ilegal deste bivalve.

Depois de os infractores terem sido identificados e feitos os autos de contraordenação, sendo o valor das apreensões de 12.350 euros, os bivalves foram devolvidos ao seu habitat natural.

Já na quarta-feira, militares do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro tinham apreendido 4.356 quilos de amêijoa-japónica em Estarreja porque, além de serem subdimensionados, não havia documentação de registo. Os bivalves seriam comercializados em Espanha.