Morreu o Asa, um dos golfinhos mais emblemáticos do Estuário do Sado

25 de Agosto de 2015

O golfinho terá morrido nesta segunda-feira, anunciou a Vertigem Azul, empresa de observação de cetáceos que, há anos, acompanha de perto a população residente no Estuário do Sado.

 

“Hoje é um dia triste para o Sado e para todos nós. O Asa partiu.” Foi assim que a Vertigem Azul anunciou a morte deste golfinho, identificado pela primeira vez há mais de 30 anos nas águas do estuário.

O Asa, um roaz (Tursiops truncatus), era um macho e um dos cerca de 20 adultos da população residente do Sado. “Nos últimos dias andava isolado do resto do grupo”, segundo a Vertigem Azul. A causa da morte só será conhecida quando forem revelados os resultados da necropsia.

Este será um dos golfinhos mais conhecidos do Estuário do Sado. A 7 de Abril de 1999 protagonizou um dos mais espectaculares salvamentos de vida selvagem em Portugal. Depois de várias horas encalhado num dos esteiros do rio Sado, preso no lodo junto à margem, o Asa – na altura com cerca de 400 quilos de peso – foi transportado de helicóptero, tendo sobrevoado casas e ruas, até às águas do estuário.

De então para cá, o Asa era um dos golfinhos mais observados no estuário.

Esta é a única população residente de golfinhos num estuário em Portugal e uma das poucas da Europa. Ainda assim, a espécie pode ser observada ao longo de toda a costa portuguesa. Nos anos 80 viveriam no Sado cerca de 40 animais; hoje serão entre 25 e 30. Segundo a Vertigem Azul, em 2005 chegou a contar-se apenas 22 golfinhos.

Estes golfinhos, quando adultos, podem ter entre dois a quatro metros de comprimento e pesar entre 150 a 600 quilos. Alimentam-se de tainhas, carapaus, sardinhas, anchovas, enguias, chocos, lulas e alguns crustáceos.

O roaz está protegido por legislação internacional, comunitária e nacional.

Conheça melhor a população de golfinhos do Estuário do Sado neste pequeno guia com seis ajudas.