Que espécie é esta: chapéu-de-bruxa

A leitora Rafaella Magalhães fotografou este cogumelo no Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa, em Dezembro, e pediu ajuda para saber a espécie. A associação Ecofungos responde.

“Nestes tempos de pandemia, quando o sol de verão já se foi, descobrimos um programa para a família! Muitas vezes não é fácil tirá-los de casa mas insistimos e quando chegam na Floresta Encantada do Monsanto adoram. Os meninos (que já são adolescentes) seguem na frente com o pai em busca dos cogumelos mais interessantes para eu fotografar. Estendo a capa de chuva na relva, monto tripé e lá se vai uma hora enquanto eles correm pelo mato”, escreveu a leitora à Wilder.

Trata-se de um chapéu-de-bruxa (Hygrocybe conica).

Espécie identificada e texto por:  Ecofungos – Associação Micológica.

Trata-se de uma Hygrocybe conica, conhecida em inglês como “chapéu-de-bruxa” (“witch’s hat”, no original).

Esta espécie tem uma particularidade interessante: oxida quando é manuseada, com alguma rapidez, ficando com cor escura/negra na zona do toque.  

O chapéu é cónico a aplanado, nunca perdendo, no entanto, a forma central cónica. 

As lâminas são amareladas e afastadas. O pé é central e muito fibroso, notando-se essa caraterística na observação a olho-nú. 

Os exemplares escurecem com a idade. 

As espécies de cogumelos do género Hygrocybe são muito fotogénicas pelas cores fortes e vivas que possuem. 

Estes cogumelos são decompositores e surgem em prados com muita frequência. 

Não são comestíveis.


Agora é a sua vez.

Encontrou um animal ou planta que não sabe a que espécie pertence? Envie-nos para o nosso email a fotografia, a data e o local. Trabalhamos com uma equipa de especialistas que o vão ajudar.

Explore a série “Que espécie é esta?” e descubra quais as espécies que já foram identificadas, com a ajuda dos especialistas.


Já que está aqui…

Apoie o projecto de jornalismo de natureza da Wilder com o calendário para 2021 dedicado às aves selvagens dos nossos jardins.

Com a ajuda das ilustrações de Marco Nunes Correia, poderá identificar as aves mais comuns nos jardins portugueses. O calendário Wilder de 2021 tem assinalados os dias mais importantes para a natureza e biodiversidade, em Portugal e no mundo. É impresso na vila da Benedita, no centro do país, em papel reciclado.

Marco Nunes Correia é ilustrador científico, especializado no desenho de aves. Tem em mãos dois guias de aves selvagens e é professor de desenho e ilustração.

O calendário pode ser encomendado aqui.