Antárctica. Foto: Maria Michelle/Pixabay

Alterações climáticas: várias espécies de insectos estão a invadir a Antárctida

Ciência

Por causa do aumento das temperaturas, várias espécies de mosquitos estão a invadir a Antárctida e a ameaçar os seus frágeis ecossistemas, alerta um artigo publicado na revista científica Journal of Biogeography.

 

As condições extremas e o elevado grau de isolamento da Antárctida são fortes barreiras, físicas e geográficas, à chegada de novos organismos ao continente branco.

Mas o aquecimento global e a actividade humana na região estão a enfraquecer essas barreiras, permitindo a chegada de espécies invasoras.

Entre os invasores está o Eretmoptera murphyi, um “mosquito sem asas” que foi introduzido na base inglesa de Signy há cerca de 60 anos e que se tem vindo a adaptar ao meio antárctico. E está a colonizá-lo progressivamente.

 

 

O mosquito Eretmoptera murphyi. Foto: CSIC

 

Talvez se possa pensar que, devido ao pequeno tamanho deste mosquito, a sua introdução tenha pouco impacto no ecossistema antárctico. Mas o seu número está a crescer de ano para ano. Actualmente chega a densidades de centenas de milhar por metro quadrado na ilha de Signy, tornando-se numa máquina transformadora do meio, alertam, em comunicado, os investigadores da Universidade Complutense de Madrid, do Museu Nacional de Ciências Naturais MNCN-CSIC de Madrid e da Universidade Rey Juan Carlos.

Precisamente o seu tamanho torna muito difícil qualquer acção de erradicação, pelo que as medidas actuais de protecção ambiental se limitam a evitar a sua expansão a novos locais.

“O estudo da ecofisiologia do organismo permite-nos realizar modelos preditivos da sua possível expansão geográfica para estabelecer medidas de quarentena e prever futuros processos de invasão”, escrevem os investigadores no artigo publicado a 30 de Dezembro de 2019.

Com as alterações climáticas, “haverá uma maior facilidade no estabelecimento desta e de outras espécies não nativas que, se não forem travadas, prejudicarão gravemente a vida autóctone”, acrescentam.

Na próxima campanha Antárctida espanhola, uma equipa de investigadores vai deslocar-se à ilha Rei Jorge para estudar uma colaboração com o programa polar uruguaio, a fim de investigar a recente presença de outro mosquito invasor, o Trichocera maculipennis, que ameaça os frágeis ecossistemas terrestres antárcticos.

Actualmente existem áreas na Antárctida que estão a aquecer mais rapidamente do que qualquer outro local do planeta, à excepção do Ártico, segundo o Comité Científico para a Investigação Antártica (Scientific Committee on Antarctic Research – SCAR).

 

Descubra o Calendário Wilder 2020

Para o ano de 2020 criámos um calendário inspirado nas espécies de plantas, animais e cogumelos de Portugal, com 12 das melhores imagens que recebemos dos nossos leitores, através do Que Espécie É Esta. E com os dias mais especiais dedicados à Natureza, de Janeiro a Dezembro. 

Saiba aqui como adquirir. 

Desta forma está a apoiar o trabalho da Wilder, revista online independente dedicada ao jornalismo de natureza.