Lobo ibérico. Ilustração: Nacho Zubelzu

Museu de Madrid inaugura exposição de desenhos sobre a fauna ibérica

A não perder

O Museu Nacional espanhol de Ciências Naturais (MNCN-CSIC) inaugurou a 20 de Fevereiro a exposição Miradas y Resistencias, do artista plástico Nacho Zubelzu que representa espécies da fauna ibérica.

 

Esta exposição, que também inclui a exibição de exemplares das colecções do Museu, pretende “aproximar o público da beleza do meio natural e despertar consciências para a necessidade de o proteger”, explica o MNCN em comunicado.

“Zubelzu combina nesta exposição o olhar do naturalista e o do artista plástico para chamar a atenção para um património natural ameaçado”, disse Soraya Peña de Camus, coordenadora das exposições do MNCN.

A arte deste artista plástico naturalista da Cantábria baseia-se na observação, evocação, metáfora e interpretação.

 

Nacho Zubelzu. Foto: D.R.

 

Nas suas obras fala de natureza e da sua transformação em sensações, em memórias da sua infância num moinho nas margens do rio Ebro que agora usa como estúdio.

“As montanhas, a neve, as aves, o privilégio de crescer com os ensinamentos de Félix Rodríguez de la Fuente e o ter tido a oportunidade de observar lobos e ursos influenciaram a minha paixão pela natureza e pela arte”, explica o artista.

Miradas e Resistencias, que pode ser visitada até 24 de Maio no edifício de Biodiversidade daquele Museu, é composta por mais de 50 desenhos e por uma selecção de exemplares naturalizados das colecções, como um guarda-rios, crânios de mamíferos, uma raposa, a borboleta Graellsia isabelae, entre outros.

Também há um filme e uma colecção de cadernos de campo com apontamentos e esboços feitos pelo autor durante as suas saídas de campo na montanha.

 

Uma das obras da exposição. Ilustração: Nacho Zubelzu

 

A exposição está organizada em quatro séries.

A série Resistencias tem 20 desenhos de aves e insectos onde o autor quer mostrar o perigo que supõe a extinção das espécies.

Na série Miradas, as aves e os mamíferos retratados dirigem-se ao visitante para o convidar a reflectir sobre a conservação do património natural.

Na série Lobo ibérico, o artista joga com o movimento, as cores e o potencial criativo desta espécie tão emblemática.

Por fim, na série Pelo y Pluma, Zubelzu trabalha com a imagem de seis mamíferos e seis aves e reproduz com subtileza a textura da sua pelagem e das suas penas.