Centaurea amblensis. Foto: Miguel Porto

Há uma nova colecção para ficarmos a conhecer as plantas de Portugal

Início

Os nove volumes da colecção “Botânica em Português” incluem guias da flora e de sítios de interesse botânico de Portugal Continental e também publicações sobre a evolução e a estrutura e biologia das plantas. Estão agora disponíveis de forma gratuita na Internet.

Lançadas pela Sociedade Portuguesa de Botânica e pela Câmara Municipal de Lisboa, em parceria com a Imprensa Nacional Casa da Moeda, estas novas obras estão associadas às iniciativas da Lisboa Capital Verde Europeia 2020.

A autoria pertence a “um conjunto alargado de botânicos portugueses e pretende divulgar a Ciência Botânica nas suas diversas vertentes, de modo rigoroso e acessível”, descrevem num comunicado conjunto as três entidades responsáveis pelo lançamento da colecção, que foi apresentada publicamente há poucos dias, em Lisboa.

Do que falam estes nove livros? Na verdade, olham para o mundo vegetal a partir de diferentes ângulos, consoante os autores e o objectivo de cada obra. E por isso, acabam por chegar a públicos muito variados – desde o especialista que quer aprofundar o que conhece sobre a estrutura das plantas e sobre a vegetação de Portugal até aos curiosos que vão dar um passeio e querem um guia que os ajude a identificar as flores que encontram.

Este ano, foram publicados seis volumes: Evolução das Plantas, Sistemática das Plantas Vasculares, A Vegetação de Portugal, Sítios de Interesse Botânico de Portugal Continental – tomo II, Guia da Flora de Portugal Continental e Guia de Bolso da Flora de Portugal Continental. Estas obras juntam-se a outras três publicadas no ano passado: Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental, Estrutura e Biologia das Plantas e o primeiro tomo de Sítios de Interesse Botânico de Portugal Continental.

Um encontro feliz de várias vontades

“Esta colecção foi o encontro feliz de várias vontades”, descreve Ana Francisco, ligada à equipa organizadora e à Sociedade Portuguesa de Botânica.

“Por um lado, já tínhamos a ideia de publicar um guia de flora, pois o facto de não existir em Portugal era uma grande lacuna no conhecimento das plantas e nas ferramentas de auxílio ao trabalho de campo”, disse à Wilder, lembrando que “já contavam com uma mais-valia que é o Flora-On“. Neste portal, estão disponíveis mais de 2.200 espécies de flora ilustradas com imagens e mais de meio milhão de registos de observação em Portugal. Outro dos objectivos era fazer-se “uma compilação dos sítios de interesse botânico mais interessantes a nível nacional”, lembrou a mesma responsável.

Por sua vez, José Sá Fernandes, vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Lisboa, estava em busca de iniciativas para associar à Lisboa Capital Verde Europeia 2020. Quem ligou essas duas vontades “num encontro casual”, abrindo portas ao financiamento pela autarquia, foi Carlos Aguiar, professor do Instituto Politécnico de Bragança – e ele próprio autor de “um conjunto de sebentas de botânica” que estavam apenas disponíveis em formato digital. Esses textos deram origem, aliás, aos três primeiros volumes da nova colecção.

Quanto aos restantes volumes, resultam da colaboração de inúmeros especialistas, tanto técnicos como voluntários, como é o caso dos dois tomos sobre os sítios de interesse botânico em Portugal Continental. “Como os textos sobre cada sítio foram escritos por diferentes autores, oferecem olhares muito diversos e interessantes sobre a flora portuguesa”, nota Ana Francisco.

Com acesso gratuito

Uma vez que foram sendo lançadas ao longo dos últimos meses e com pequenas edições, várias obras já estão esgotadas em formato impresso. Mas está previsto que todas fiquem disponíveis, por exemplo, nas bibliotecas municipais de Lisboa.

Oito dos nove volumes estão também acessíveis de forma gratuita para todos os interessados no site da Imprensa Nacional, em formato PDF. Neste caso, todavia, porque foi necessário que ficassem menos pesadas, as imagens têm menos qualidade e algumas obras tiveram de ser divididas em vários volumes, avisa Ana Francisco. Já a Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental – co-financiada por fundos comunitários e pelo Fundo Ambiental e apresentada publicamente há um ano – pode ser encontrada no site do projecto com o mesmo nome.

E para o futuro, haverá novos números da colecção “Botânica em Português”? Para já nada está previsto, mas não será por falta de ideias. “Na verdade a colecção tem por onde expandir-se: o passo natural seria a expansão para as Ilhas”, adianta a responsável da Sociedade Portuguesa de Botânica. E lembra também que, por outro lado, “daqui a cinco anos convém fazer uma actualização, pois a informação vai-se desactualizando.”