Richard Peters

Fotografias internacionais da vida selvagem inauguram a Science Photo Gallery

Fotografia

É já neste domingo, 3 de julho, pelas 15h00, que abrem as portas da nova galeria de exposições de fotografia do Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra, com a GDT European Wildlife Photographer of the Year 2015, pela primeira vez em Portugal.

 

A partir deste domingo poderemos contar com exposições de fotografia relacionadas com a ciência e a tecnologia no novo espaço do Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra, apelidado de Science Photo Gallery. O objetivo passa por harmonizar o caráter interativo do centro de ciência com a dimensão contemplativa da fotografia.

A inaugurar o programa de exibições fotográficas, sempre temporárias e gratuitas, estreiam-se, em Portugal, as 84 fotografias vencedoras das cerca de 17.300 que participaram na 15ª edição da competição europeia GDT European Wildlife Photographer of the Year 2015. Este concurso de fotografia que, no ano de 2015, contou com a participação de 36 países, é promovido anualmente pela Sociedade alemã de Fotógrafos de Natureza (GDT – Gesellschaft Deutscher Tierfotografen).

Das fotografias premiadas, expostas em caixas de luz e acompanhadas por breves descrições bilingues (português e inglês), da responsabilidade dos respetivos autores, predominam sombras e silhuetas. A foto vencedora do concurso tem lugar de destaque e as restantes dividem-se em 10 categorias. Aves, mamíferos, paisagens e a relação entre o ser humano e a natureza são apenas alguns exemplos.

 

Foto vencedora: Richard Peters (Great Britain)

Foto vencedora: Richard Peters

 

 

Foto: Ingo Arndt

Foto: Ingo Arndt

Foto: Anna-Liisa Pirhonen

Foto: Jon Langeland

Foto: Jon Langeland

 

 

Georg Kantioler

Foto: Georg Kantioler

 

Foto: Francisco Javier Murcia Requena

Foto: Francisco Javier Murcia Requena

 

O diretor do Exploratório, Paulo Trincão, afirma que a escolha desta mostra fotográfica, para os meses de Julho e Agosto, quer dar visibilidade a imagens de grande qualidade e beleza. Além disso, o facto de ser bilingue permitirá alcançar o público turista nos meses de Verão. Deste modo, o responsável espera que esta seja a primeira contribuição para o aprofundamento do turismo científico e tecnológico na Região Centro.

A partir de Setembro, certamente, haverá uma nova exposição. “Há uma série de temas que podemos trabalhar, mas ainda se está a acordar a agenda, que será conhecida em Agosto”, revela Paulo Trincão. A astrofotografia e a fotografia de natureza temática – nomeadamente fungos, insetos, comportamento animal ou botânica – estão em cima da mesa.

 

Este texto foi editado por Helena Geraldes