Dois pequenos ursos-pardos e a sua mãe foram recentemente captados numa fotografia, a preto e branco, no Vale d’Aran, na região da Catalunha, nos Pirinéus. Assim, já nasceram seis ursos este ano naquela região montanhosa, um número recorde.

 

O Conselho Geral do Vale d’Aran (na província de Lleida) acabou de publicar uma fotografia a preto e branco de Hvala – fêmea nascida na Eslovénia e reintroduzida nos Pirinéus em 2006 – e das suas duas crias nascidas neste Inverno, noticia o jornal La Vanguardia. Com estas crias já são seis os nascimentos de ursos registados este ano nos Pirinéus. A fotografia terá sido tirada a 7 de Agosto por câmaras de controlo remoto.

Segundo os técnicos do Conselho Geral do Vale d’Aran, haverá agora cerca de 40 ursos-pardos nos Pirinéus.

O urso-pardo extinguiu-se nos Pirinéus centrais em 1990. Em 1996 começaram os esforços para reintroduzir a espécie com animais vindos da Eslovénia, geneticamente semelhantes aos pirenaicos. Neste momento está a decorrer o projecto europeu LIFE Piros (2014-2018) para “consolidar o futuro do urso-pardo nos Pirinéus num ambiente favorável”, explicam os responsáveis.

O urso-pardo (Ursus arctos) mede entre metro e meio e dois metros. Os machos podem pesar entre 80 e 240 quilos e as fêmeas entre 65 e 170 quilos. É entre Novembro e Dezembro que os ursos começam a hibernar, período que termina entre Fevereiro e Abril.

A população mundial de urso-pardo está estimada em cerca de 200.000 animais. A Rússia tem as maiores populações (estimadas em 120.000 ursos), seguida dos Estados Unidos (32.200, dos quais 31.000 no Alasca) e Canadá (25.000). Há ainda ursos na China e no Japão.

Na Europa, excluindo a Rússia, calcula-se que existam cerca de 14.000 ursos. No Sul da Europa, esta é uma espécie em perigo de extinção, com populações pequenas na Grécia, Cordilheira Cantábrica, Abruzzo, Trentino e Pirinéus. Em Junho, o Ministério espanhol do Ambiente anunciou que a população de ursos na Cordilheira Cantábrica passou dos 70 animais, em 1994, para mais de 200, graças aos projectos de recuperação da espécie.